Acessibilidade Sobre Rodas

29
junho
Publicado por Raquel Paoliello no dia 29 de junho de 2016

 

Olá,

Tudo bem pessoal?

 

Esse mês fui até a Estação Pinheiros, em São Paulo, fazer um passeio para avaliar a acessibilidade da estação. Resolvi trazer minhas conclusões para compartilhar com vocês aqui no blog.

 

A acessibilidade na Estação Pinheiros é ótima! As placas são muito bem claras, facilitando a circulação e a mobilidade dos deficientes em suas dependências; o piso tátil e os vagões especiais para cadeirantes também são muito bem sinalizados. Fiquei satisfeita em constatar a qualidade da acessibilidade nesta estação. E que os funcionários estão sempre dispostos a ajudar.

 

IMG_20160608_111426_HDR

 

Não tive dificuldades para chegar na estação indo pela linha Esmeralda da CPTM e acessar o elevador. Porém, para subir e pegá-lo, precisei esperar um tempo, pois o mesmo já estava lotado de usuários (que inclusive não eram cadeirantes nem possuíam nenhum tipo de mobilidade reduzida).

 

Finalmente consegui pegar o elevador e chegar aonde eu desejava. Tive que utilizar o elevador novamente na volta, mas dessa vez um funcionário do Metrô precisou me auxiliar, liberando o espaço para que eu pudesse entrar. E isso ocorre não só na Estação Pinheiros, mas em todas as outras estações também. É um absurdo que os cadeirantes e/ou deficientes físicos não tenham seus direitos respeitados!

 

Banheiro sem luz

Outro ponto importante para citar foi que quando fui utilizar o banheiro da estação Pinheiros da CPTM ele se encontrava completamente sem iluminação, praticamente impossibilitando o uso; o banheiro que dizia ser acessível na realidade não era, pois possuía apenas a acessibilidade  que está determinada em lei, porém isso não foi suficiente porque se eu estivesse sozinha, não conseguiria circular pelo banheiro.

IMG_20160608_113254_HDR

 

Em minha opinião, nosso País ainda tem muito o que melhorar na questão de acessibilidade e mobilidade, mas uma das soluções seria lutar cada vez mais pelos direitos dos PCD’s, porque a pergunta que não quer calar é: se nós, que somos deficientes e realmente sentimos isso na pele não lutarmos pelos nossos próprios direitos, quem irá lutar?

 

CPTM explica

Antes de publicar esse post, a equipe do Mobilize sugeriu que eu fizesse contato com as empresas citadas (Metrô, Via 4 e CPTM). Aguardamos uma semana e recebemos apenas a resposta da CPTM, que reproduzo a seguir:

 

“A CPTM tem 92 estações, sendo que 46 estão de acordo com as normas vigentes de acessibilidade, e outras cinco estações estão em obras: 

- Poá, na Linha 11-Coral (Luz – Guaianases – Estudantes);
- Eng. Goulart, na Linha 12-Safira (Brás – Calmon Viana);
- Jd. Silveira, Jd. Belval e Quitaúna, na Linha 8-Diamante (Júlio Prestes – Itapevi).

 

As obras contemplam a implantação de itens de acessibilidade, como elevadores, rampas, pisos podotáteis e mapas em braile, além de sanitários exclusivos para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. 

 

Nas estações que ainda não estão adaptadas, todos os empregados das estações são treinados para auxiliar as pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida dentro de suas dependências.

 

Em relação ao uso do elevador na Estação Pinheiros, na Linha 9-Esmeralda, a CPTM realiza intensas campanhas educativas nas estações e nas redes sociais sobre comportamento de usuário, inclusive orientando que dê prioridade a pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida nos assentos do trem e nos elevadores. Além de esperar a sua vez de entrar, o que é uma questão de cidadania e de respeito ao próximo.  

 

Os banheiros são alvos constantes de vandalismo – o que envolve furto ou destruição de itens de iluminação e de infraestrutura sanitária. A CPTM verificou a situação do banheiro preferencial da Estação Pinheiros e já providenciou a iluminação.

CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos”

 

Até o próximo post! Beijos, Raquel ;)

 

IMG_20160608_110345_HDR



Compartilhe

Comente

2 Comentários

Enviado 7 de julho de 2016 às 12:35 | Permalink

Bom dia, achamos interessante a matéria, porém faltou um comentário básico. Altura e Distancia do trem da CPTM em relação a plataforma, outro ponto, qual foi a estação de origem e destino final da viagem? Poderiamos organizar um Tour por SP utilizando o transporte publico?
De forma a apontar itens que necessitam de extrema atenção quanto a acessibilidade?

Raquel Paoliello
Enviado 31 de outubro de 2016 às 17:31 | Permalink

Olá, muito obrigado pelo comentário…
Sim, posso analisar a ideia de dar um passeio por SP e apontar esses pontos.
Att

Seu e-mail nunca é exibido. Campos obrigatórios são marcados *

*
*
*


Busca no Blog
Com a palavra...
Raquel Arruda Raquel Arruda
de 23 anos, é cadeirante. Embora sofra de paralisia cerebral congênita, a moça vai logo declarando: "A deficiência nunca foi uma barreira para mim, muito pelo contrário; ando sempre com um sorriso no rosto e uma imensa vontade de viver". Raquel, que é apaixonada por literatura, escrita e música entre outros assuntos, neste blog quer mesmo é privilegiar a discussão sobre a inclusão e a luta pela acessibilidade e contra o preconceito.

Posts mais lidos
Categorias
Arquivo
Realização
Associação Abaporu
Desenvolvimento
MSZ Solutions
Comunicação
Mandarim Comunicação
Patrocínio
Itau

Allianz
Apoio
Ernst & Young
Prêmio
Empreendedor Social
Prêmio Empreendedor Social