Acessibilidade Sobre Rodas

22
janeiro
Publicado por Raquel Paoliello no dia 22 de janeiro de 2018

Existem várias opções de mobilidade urbana para um cadeirante; neste post falaremos do Bilhete Único, mas nosso foco será o Bilhete Único Especial, que é basicamente a mesma coisa que um Bilhete Único Comum, só que com alguns detalhes que o diferenciam do Comum.

No Bilhete Único Especial, há gratuidade para a pessoa com deficiência e seu acompanhante nos ônibus, metrô e trens da CPTM. Eu uso o Bilhete Único Especial há bastante tempo  – para falar a verdade, desde que comecei a utilizar o transporte público, isso já faz muitos anos. Hoje em dia esse bilhete me ajuda muito, pois posso andar pela minha cidade – São Paulo – utilizando o transporte público livremente, sem pagar nada.

 

bilheteunicoespecialterra

 

Quando fiz o Bilhete fui informada que ele teria validade de um ano, até a data do meu aniversário; quer dizer, todo ano precisaria renová-lo. Mas, como no meu caso tenho uma deficiência congênita, ele foi cadastrado com essa especificidade e, sendo assim, posso utilizar sempre o meu Bilhete. Há alguns dias atrás, liguei para a Central do Bilhete Único Especial e soube que, desde setembro do ano passado, os bilhetes que estão cadastrados como deficiência congênita e Bilhete Único Especial Idoso não precisam mais dessa renovação.

Existe o Bilhete Único em vários estados do país, só que cada estado tem seu sistema próprio e um nome diferente de acordo com a localidade. Por exemplo, no Rio de Janeiro há dois sistemas distintos: o Bilhete Único Carioca, queserve para os ônibus e o metrô (Metrô Rio). Utilizando o Bilhete Carioca, a população embarca em dois ônibus, no período de 48 horas, pagando apenas uma tarifa (R$ 3,80). Assim como na cidade do Rio, Niterói e Petrópolis também tem seus bilhetes próprios. Em Niterói, é o Bilhete Único de Niterói e em Petrópolis, o RioCard, utilizado na maioria dos estados do Rio. O RioCard também garante gratuidade para os idosos, além dos deficientes físicos.

Em Curitiba, o Bilhete é o URBS – sigla do Bilhete Único curitibano – que tem quatro categorias: Usuário, Avulso, Cartão Estudante e Cartão Isento, que é o cartão que atribui gratuidade para as pessoas com deficiência e idosos. Em Salvador, existe o Salvador Card, mas nesse bilhete há uma categoria chamada Vale Transporte Especial, que atribui gratuidade para idosos e pessoas com deficiência.

Com estas informações, espero ter ajudado a todos os que, como eu, desejam exercer seu direito ao uso do transporte público! Até a próxima!

Beijos

 



Compartilhe

Comente

Seu e-mail nunca é exibido. Campos obrigatórios são marcados *

*
*
*


Busca no Blog
Com a palavra...
Raquel Arruda Raquel Arruda
de 23 anos, é cadeirante. Embora sofra de paralisia cerebral congênita, a moça vai logo declarando: "A deficiência nunca foi uma barreira para mim, muito pelo contrário; ando sempre com um sorriso no rosto e uma imensa vontade de viver". Raquel, que é apaixonada por literatura, escrita e música entre outros assuntos, neste blog quer mesmo é privilegiar a discussão sobre a inclusão e a luta pela acessibilidade e contra o preconceito.

Posts mais lidos
Categorias
Arquivo

Realização
Associação Abaporu
Desenvolvimento
MSZ Solutions
Comunicação
Mandarim Comunicação
Patrocínio
Itau

Allianz
Apoio
Ernst & Young
Prêmio
Empreendedor Social
Prêmio Empreendedor Social