Acessibilidade Sobre Rodas

29
novembro
Publicado por Raquel Paoliello no dia 29 de novembro de 2017

Olá blogueiros,
Este mês vou dar algumas dicas de viagens bem valiosas para vocês. Além disso, também vamos fazer um passeio pela capital paranaense, analisando os vários pontos positivos da acessibilidade e da mobilidade da cidade. Estão prontos para embarcar  nesse passeio?

 

Já fui várias vezes à Curitiba, e nesta minha última visita pude constatar que a cidade  evoluiu muito, mas como em todos os lugares ainda há problemas: fui visitar o Parque Tanguá, que é maravilhoso, mas como é um parque que possui muitas ladeiras, é complicado para o deficiente ou a pessoa com mobilidade reduzida caminhar por lá. Tem um lance curto de escadas, que dá acesso aos banheiros. Em minha opinião isso precisa ser examinado e um projeto de rampa ou elevador no lugar tornaria o parque acessível e o passeio mais agradável.

 

A mobilidade de Curitiba é ótima. Existem as Estações Tubo, que são pontos de parada de ônibus da Rede Integrada de Transporte da Grande Curitiba. O embarque ocorre através dos tubos e no nível da plataforma há acesso para cadeirantes. Eu pude andar várias vezes de ônibus lá e comprovei realmente a qualidade do transporte público curitibano, um transporte pioneiro e moderno, onde os ônibus são bem cuidados.

 

Em Curitiba, existe o programa Passe Livre, que dá ao deficiente e a seu acompanhante o direito de viajar de ônibus gratuitamente. Basta fazer uma carteirinha como se fosse um Bilhete Único; preencher um formulário, que pode ser impresso no site do Ministério dos Transportes. Este formulário é bem completo e é divido em duas partes: uma o médico deve preencher e a outra o passageiro.

 

Ônibus

São dois tipos de ônibus em Curitiba: os normais e os bi-articulados, apelidado pela população de Ligeirinho. O sistema “tronco-alimentador” consiste na implantação de terminais de transbordo/conexão em pontos estratégicos nos diversos bairros de Curitiba e em municípios de sua Região Metropolitana. Nesse formato, existe uma linha principal que faz a ligação Centro/Terminal de integração, com capacidade ampliada de passageiros e maior oferta de horários. Nesses terminais o passageiro faz a conexão com as linhas alimentadoras que por sua vez fazem a distribuição dos passageiros nos bairros da região ou com outros terminais próximos.

 

Dessa forma ocorre a condensação em uma linha principal, o que diminui a quantidade de ônibus circulando na região central da cidade. O sistema implantado em Curitiba serviu de exemplo para várias outras cidades ao redor do mundo. O bi-articulado e os ônibus circulam dentro do sistema Tronco Alimentador, o que sem dúvida facilita a vida para a população.

 

Calçadas

As calçadas de Curitiba são ótimas e a cidade é super bem arborizada; a cidade também é muito acessível, os parques e todos os pontos turísticos que visitei até hoje, como museu Oscar Niemeyer e Jardim Botânico, são acessíveis.

 

Se você quiser viajar e aproveitar bastante, Curitiba é uma ótima opção!

 

Parte interna de uma estação - tubo de Curitiba

Parte interna de uma estação – tubo de Curitiba

 

Expresso Bi Articulado de Curitiba

Expresso Bi Articulado de Curitiba

 



Compartilhe

Comente

Seu e-mail nunca é exibido. Campos obrigatórios são marcados *

*
*
*


Busca no Blog
Com a palavra...
Raquel Arruda Raquel Arruda
de 23 anos, é cadeirante. Embora sofra de paralisia cerebral congênita, a moça vai logo declarando: "A deficiência nunca foi uma barreira para mim, muito pelo contrário; ando sempre com um sorriso no rosto e uma imensa vontade de viver". Raquel, que é apaixonada por literatura, escrita e música entre outros assuntos, neste blog quer mesmo é privilegiar a discussão sobre a inclusão e a luta pela acessibilidade e contra o preconceito.

Posts mais lidos
Categorias
Arquivo
Realização
Associação Abaporu
Desenvolvimento
MSZ Solutions
Comunicação
Mandarim Comunicação
Patrocínio
Itau

Allianz
Apoio
Ernst & Young
Prêmio
Empreendedor Social
Prêmio Empreendedor Social