Milalá

05
outubro
Publicado por Mila no dia 05 de outubro de 2015

Mais sacolejos, mais tropeços, mais buracos, mais descobertas boas e bem bonitas. Oba!

Saí da Pça da República pela Rua Barão de Itapetininga. Como um bom e velho calçadão, faz juz às pedrinhas portuguesas, ambulantes e muita gente pra lá e pra cá. Ainda bem que estou cada vez mais craque em dirigir a Julinha porque ali é preciso ser fera no volante! Cheguei na Praça Ramos de Azevedo, em frente ao Teatro Municipal, a primeira coisa muito boa e bonita do passeio. Ali você passa uns perrengues pra atravessar a rua, pois além das rampas que não saem na faixa há carros de serviço que param em frente delas e, também, como não tem farol, a atenção redobra para atravessar a rua com pressa.

IMG_2876

Desci a Rua Conselheiro Crispiniano, repleta de buracos, rampas em mau estado, calçadas inclinadas e farol extremamente demorado para os carros e superrápido para os pedestres que querem atravessar nos fundos do Teatro. Segui para a Avenida São João, que deixa a desejar no piso. Ele sacoleja, mas ela é enorme e não tem tantos ambulantes e, o melhor, tem o Espaço das Artes que é perfeito tanto em acessibilidade quanto em espaço de arte. Vale conferir! Saí de lá pelo Vale do Anhangabaú. Continuo no sacolejo e sinto muita falta de mais verde, de bancos, de atividades artísticas, de vida.

IMG_3032

IMG_3028

O Vale é tão bonito, mas se perde nos cantos sem graça. Subi a passarela que cruza a Praça da Bandeira. Diante de um visual incrível, tive que me preocupar várias vezes em olhar pra onde estava rodando porque a passarela tem uns pedaços bem judiados. Sensacional o que encontrei no pé da passarela, o Red Bull Station. Entrei e investi um bom tempo apreciando aquele lugar. A acessibilidade dá show! Saí de lá e voltando para as minhas queridas calçadas, peguei novamente a passarela da Praça da Bandeira. Desta vez, foi a outra, mas de novo apreciando o visual e olhando pro chão.

img_3198 (1)

Segui sentido Rua Santo Antônio, que é bem estreita e nem tem quase rampas. Tive que recorrer às guias rebaixadas dos estacionamentos e atravessar para descer a Rua Major Quedinho, onde parei em uma sorveteria para carregar a Julinha e, claro, aproveitei para saborear um belo sorvete. Após um tempinho parada literalmente, resolvi seguir sentido Avenida São Luís. Nem arrisquei parar na Lanchonete do Estadão, que fica no Viaduto 9 de Julho. Passei por lá rapidinho, mas deu pra ver que tenho que procurar o melhor lugar para atravessar. Meu destino era a Praça da República, com parada obrigatória na maravilhosa calçada da Praça Dom José Gaspar, que abriga a Biblioteca Mário de Andrade.  O trajeto não foi grande, mas foi intenso de aprendizados e descobertas!



Tags:, , , , , , ,

Compartilhe

Comente

Seu e-mail nunca é exibido. Campos obrigatórios são marcados *

*
*

Busca no Blog
Com a palavra...
Milala Vamos conhecer o Milalá?
Mila Guedes, 45 anos, é publicitária e idealizadora do Milalá, projeto que estimula quem tem mobilidade reduzida a passear, viajar e curtir a vida. Acompanhe suas aventuras e as experiências incríveis que viabilizou em 22 anos como portadora de esclerose múltipla. Mila acredita que quanto mais informação, mais fácil será enfrentar os obstáculos que aparecerão pelo caminho. Sem medo, sem limite. Conheça este trabalho aqui no portal Mobilize, na página do Facebook e também no site www.milala.com.br
Posts mais lidos
Categorias
Arquivo
Realização
Associação Abaporu
Desenvolvimento
MSZ Solutions
Comunicação
Mandarim Comunicação
Patrocínio
Itau Allianz
Apoio
Ernst & Young
Prêmio
Empreendedor Social
Prêmio Empreendedor Social