Custo com obras da Copa está R$ 2 bilhões mais caro

Falta de controle faz preço de projetos de mobilidade urbana e estádios disparar

Notícias
 

 |  Autor: R7  |  Postado em: 28 de novembro de 2011

Maracanã

Maracanã

créditos: turismolazer10.blogspot.com

O custo com as obras de mobilidade urbana e construção de estádios para a Copa do Mundo aumentou cerca de R$ 2 bilhões, segundo dados do jornal O Estado de S. Paulo. A reportagem aponta a falta de controle por parte do poder público como motivo para a disparada nos preços das adaptações do país para o Mundial.
 

Reavaliações e aditivos aos projetos apresentados elevam os preços às alturas.

 
Em Cuiabá, no Mato Grosso, o governo alterou um dos projetos de mobilidade. Trocou o BRT (linhas de ônibus) por veículos leves sobre trilhos (VLT ), que elevaram os custos em R$ 700 milhões. A mudança aconteceu mesmo com parecer contrário da Controladoria Geral da União e com o apoio do Ministério das Cidades, que fraudou uma nota técnica contrária feita dentro da própria pasta para dar sustentação a interesses políticos.

 
Em Minas Gerais, o preço da criação do BRT da avenida Cristiano Machado está 164% mais caro.
 

O custo dos estádios também aumentou de forma desenfreada. O Maracanã, palco da final da Copa do Mundo, tem previsão de custo 47,25% maior do que no projeto, são R$ 283 milhões a mais.
 

Em Brasília, o valor é uma incógnita. Isso porque a conta feita para construir o novo Mané Garrincha, que gira em torno dos R$ 688 milhões, não inclui itens básicos, como a cobertura – exigida pela Fifa, gramado e traves para o estádio.
 

O Ministério das Cidades diz que o aumento bilionário nas contas da Copa se deu “em função de estudos mais aprofundados, que mostram a necessidade de mudanças” e diz que fará uma revisão na matriz de responsabilidades dos projetos de mobilidade.


  • Compartilhe:
  • Share on Google+

Comentários

Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro!!!

Clique aqui e deixe seu comentário

Enquetes
Enquete Você deixaria o carro em casa, e até o transporte público, se as calçadas de sua cidade fossem melhores para caminhar?