Cidades para carros, sem pedestres :-)

Em texto bem-humorado, Antonio Prata publica a anedota que fazemos aqui no Mobilize: "Prefeitos deveriam proibir a circulação de pedestres nas ruas das cidades"

Notícias
 

Fonte: Folha de S. Paulo  |  Autor: Antonio Prata  |  Postado em: 04 de março de 2018

Sapatênis
créditos: Reprodução Folha de S.Paulo

São Paulo para motoristas

Em 2018 o prefeito João Doria (PSDB) investirá mais em asfalto (R$ 550 milhões) do que em educação (R$ 168 milhões) e saúde (R$ 545 milhões), segundo matéria de Artur Rodrigues, quarta (28/02/2018), na Folha de S.Paulo. (Os valores se referem somente a investimentos, excluído o custeio reais que a prefeitura já gasta todo ano para manter a educação e a saúde devidamente esburacadas). O programa de recapeamento chama-se Asfalto Novo e deve ser a maior vitrine do prefeito em sua provável candidatura ao Palácio dos Bandeirantes.

 

Acho coerente. Lembremos que Doria foi eleito não só pela grande novidade que trouxe à política nacional —o sapatênis— mas pela promessa de aumentar a velocidade nas marginais: “Acelera São Paulo” era seu slogan. A medida ia contra as estatísticas sobre mortes no trânsito, contra as opiniões dos engenheiros de tráfego e contra a tendência nas principais metrópoles mundiais, o que só demonstra o livre pensar do prefeiTOP e sua crença na primazia do indivíduo sobre o coletivo.

 

Coletivo, aliás, é coisa de comunista. Agir de acordo com números, estudos acadêmicos e consensos internacionais também é coisa de comunista. A velocidade, inclusive, tinha sido reduzida pelo comunista Haddad; o paulistano, que já estava farto da roubalheira do PT, não deixou barato o furto de seus 20 km/h, engatou uma quinta e elegeu o Doria em primeiro turno. Quer andar devagarinho? Vai pra Cuba! (Duvido que algum daqueles calhambeques chegue a 90 km/h).

 

Há quem tenha achado a decisão de aumentar os limites de velocidade, além de irresponsável, desimportante. Discordo e muito. Como as principais vítimas em acidentes de trânsito são motoqueiros e pedestres, o “Acelera São Paulo” foi não só um marco na luta pelos direitos individuais como um evidente avanço sobre a pobreza. 

 

Na campanha para o governo, Doria não deveria se intimidar com as críticas, devia radicalizar o discurso, continuar fazendo seu “vezinho” da vitória de lado e sair com o slogan “São Paulo para os motoristas”. O lema da nossa capital é o “Non ducor, duco”, “Não sou conduzido, conduzo”, ou seja, este não é um estado para quem anda de ônibus ou metrô, é um estado para quem está no volante. Convenhamos, a pessoa não conseguiu ganhar dinheiro nem pra comprar um Corsa e agora quer que o Estado cuide dela? Isso é “coitadismo”, é “vitimismo”. Somos a favor da meritocracia. E do sapatênis. 

 

“Ah, mas governar só pros motoristas é elitismo!”, vão dizer nas redes sociais. Não, é governar pra quem merece. Pro cidadão de bem. Você já viu um motorista ao volante fumando crack? Roubando bolsa? Pichando o décimo andar de um prédio? Não, é sempre pedestre. Coincidência? Não me parece. Combatendo o pedestre estaremos combatendo grande parte dos males que assolam nossas cidades. (O “sola” dentro de “assolam” não é mera coincidência).  

 

Não digo que o Doria, uma vez eleito governador, deva proibir as pessoas de andarem a pé. Proibir é coisa de comunista. Devia era liberar as calçadas para os carros. Assim, naturalmente, os pedestres desaparecerão. Sem pedestres, deve chegar a zero o número de atropelamentos, desafogando o tráfego e permitindo que o motorista paulista, o motorista empreendedor, o motorista meritocrata, o motorista de bem faça mais rápido, com sua família, o trajeto da casa ao shopping —este sim um lugar onde as pessoas devem andar a pé.


Leia também:
Asfalto Novo X Calçada Velha
"Multa para pedestre e ciclista é inaplicável"
Jogo dos erros: travessia em São Paulo coloca pedestres em risco
Estatuto do Pedestre é revisto por entidades em defesa da mobilidade ativa

Doria tira R$ 192 milhões de corredores de ônibus para asfaltar vias


  • Compartilhe:
  • Share on Google+

Comentários

Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro!!!

Clique aqui e deixe seu comentário

Enquetes
Enquete Você deixaria o carro em casa, e até o transporte público, se as calçadas de sua cidade fossem melhores para caminhar?