Meu tênis, meu transporte: run commuting em Copenhague – Mobilize Europa
Mobilize Europa

17
setembro
Publicado por admin no dia 17 de setembro de 2015

E então chegou a última fase da viagem: o congresso sobre inovação, em Copenhague, Dinamarca.

Após percorrer 200km com a Mari (de bike, patins e correndo) o meu corpo estava mais disposto do que eu imaginava que estaria e a mente limpa e saudável. Difícil mesmo é transformar em palavras os sentimentos das últimas semanas.

Em Copenhagemapaue, fiquei hospedada na casa da Irina e do Kirill – ávido Run  Commuter e criador do  “IamRunBox” . O evento sobre inovação foi realizado no  Eigtved Pakhus, cerca de 11km da casa deles. Distância perfeita para começarmos o  dia de cabeça feita,  ao ir correndo para o congresso.

Após 5km, parada estratégica- e inusitada – no píer: o kirill mergulhava e nadava  por cerca de 5 minutos e, após, continuávamos a corrida (quando ele me disse que  teríamos esse pitstop, tive certeza que era piada… Mas era sério: além de correr  para o trabalho, ele também nada!:P)

 

 

Fazíamos um caminho diferente a cada manhã para que eu pudesse conhecer mais  a cidade: museus, catedrais, igrejas, lindos parques e jardins…

Ao longo do Canal de CopenhagueIMG_1511 ok

Ao passar pelo Palácio de Amalienborg, os soldados estavam marchando no centro do pátio – me senti num filme.

soldado

Palácio de Amalienborg

A cidade oferece ótimas condições para a mobilidade a pé: calçadas em bom estado; faixas de pedestre; iluminação dos espaços urbanos; ciclos semafóricos compatíveis com os fluxos a pé; informação e sinalização acessível e eficaz. Algumas ciclovias são compartilhadas entre pedestres e bikes e é comum encontrar trechos elevados de calçada para separar os meios de locomoção.

IMG_1421 ok

Ótimas condições para a mobilidade a pé

Além das inúmeras bikes, no caminho encontramos outras pessoas que também  estavam praticando o run commuting. Nesse momento, há o “reconhecimento de  grupo” com manifestações mútuas de “bom dia”, dito com muita alegria ao acenar as  mãos.

Por fim, no congresso ficamos praticamente o tempo todo em auditórios,  ministrando e assistindo palestras e, mesmo nas horas de pausa para o café/almoço,  permanecíamos dentro dos prédios. Da janela do Eigtved Pakhus tínhamos a visão  do canal de Copenhague e no fim da tarde, a luz do sol refletia em sua superfície. Era  praticamente um chamado para sair e ver de perto, sentir o vento no rosto. Nesse  momento – com um sorriso no cantinho da boca – agradecia ao universo por ter  passado ali horas antes, de tênis – meu meio de transporte favorito – e me sentir tão  conectada ao local que me recebeu de braços abertos.



Compartilhe

Comente

Seu e-mail nunca é exibido. Campos obrigatórios são marcados *

*
*
*


Busca no Blog
Sobre o Blog
Especialistas, colaboradores e parceiros do Mobilize escrevem suas impressões sobre a mobilidade urbana nas cidades europeias, de bicicleta, sobre skates, em cadeiras de rodas, correndo ou andando, no metrô, VLT, ônibus, barcos, funiculares, riquixás e outras modalidades de transporte urbano.
Com a palavra...
Mariana Falcone Mariana Falcone Guerra é arquiteta graduada e com mestrado pela FAU-USP. Atualmente está na Espanha, realizando doutorado no Centro de Inovação em Tecnologia para o Desenvolvimento Humano da Universidade Politécnica de Madri. Há mais de dez anos dedica-se à área urbanística, desenvolvendo projetos e consultorias voltadas ao desenho urbano inclusivo, e ao reforço da métrica pedestre. Acredita que a apropriação do espaço público pelas pessoas é a melhor estratégia para reforçar a segurança e a vitalidade das cidades.
Posts mais lidos
Categorias
Arquivo

Realização
Associação Abaporu
Desenvolvimento
MSZ Solutions
Comunicação
Mandarim Comunicação
Patrocínio
Itau Allianz
Apoio
Ernst & Young
Prêmio
Empreendedor Social
Prêmio Empreendedor Social