Brasilia Para Pessoas

01
agosto
Publicado por Brasília no dia 01 de agosto de 2017

Texto e imagens: Uirá Lourenço

 

O Detran-DF estampou notícia sobre mais uma edição do curso voltado aos motoristas que têm medo de assumir o volante. Curiosamente 5/6, data da notícia, é o Dia Mundial do Meio Ambiente.

Noticia_09-06-2017_Detran-DF_Curso_Supere o medo de dirigir'''

Notícia sobre a nova edição do curso (clique na imagem para acessar a notícia)

 

A contradição é óbvia. Não bastasse a política rodoviarista ao longo dos anos no DF – com foco na ampliação das vias e na construção de túneis e viadutos –, o órgão de trânsito ainda ajuda os motoristas medrosos com curso gratuito.

 

Com o aumento do caos e da poluição causados pela crescente frota automotiva em circulação, seriam mais adequadas ações governamentais com o objetivo de desestimular o uso do carro. A Política Nacional de Mobilidade Urbana, em vigor há mais de cinco anos, é clara ao estabelecer como diretriz a prioridade dos modos de transportes saudáveis (“não motorizados”) sobre os motorizados e a prioridade do transporte coletivo sobre o transporte individual motorizado. E um dos objetivos da lei é promover o desenvolvimento sustentável.

 

Um detalhe a ser considerado: no DF, há empresas especializadas que oferecem cursos com o objetivo de superar o medo de dirigir. E o setor automotivo incentiva constantemente as pessoas a comprar e usar carro, como revelam os inúmeros anúncios na cidade e na mídia (jornal impresso, televisão, rádio e internet). Ou seja, não há necessidade do apoio governamental com cursos gratuitos.

 

 ???????????????????????????????  DSC01297_26-01-2017_AsaNorte_W3_Loja_Carros VW_edit
 ???????????????????????????????  DSC01097_26-01-2017_AsaNorte_W3_Ponto Onibus_Anuncio_Medo Dirigir_edit

 

Ao constatar a realidade no DF – transporte coletivo precário, calçadas destruídas e ciclovias vazias e sem conexão – conclui-se que outros setores do transporte precisam do apoio governamental. Em vez de insistir na lógica automotiva, cara e poluente, o investimento no setor de veículos limpos (VLT, ônibus elétrico e bicicleta) traria inúmeros benefícios à sociedade.

 

Diante de tanta carência na fiscalização de trânsito para coibir as reiteradas infrações motorizadas (ex.: estacionamento irregular sobre calçadas e canteiros e bloqueios nos cruzamentos de ciclovia), causa ainda mais perplexidade o gasto do Detran (recursos financeiros e humanos) com o curso para superar o medo do volante.

 

Ações inovadoras: Superação do medo de pedalar

 

Os órgãos gestores da mobilidade precisam se atentar para a tendência moderna de incentivar formas saudáveis e alternativas ao automóvel. As cidades modernas restringem cada vez mais o espaço destinado ao transporte individual motorizado (pistas, estacionamentos, túneis e viadutos) e as áreas centrais se abrem para as pessoas, com mais praças e parques.

 

Diversas notícias, especialmente de capitais europeias, comprovam a tendência de priorizar as pessoas, em vez de automóveis. O Detran, o DER, a Secretaria de Mobilidade e os demais órgãos gestores da mobilidade urbana precisam se convencer de que a saída para enfrentar o iminente colapso viário (já são cerca de 1 milhão e 700 mil veículos motorizados registrados no Detran) passa pela melhoria e prioridade absoluta ao transporte coletivo e aos modos saudáveis.

 

Fica a sugestão ao Detran-DF: oferecer cursos regulares gratuitos a quem tem medo de pedalar. Em vez de encorajar os motoristas medrosos, o Detran passaria a oferecer o curso gratuito Perca o medo de pedalar. Já ministrei palestras no Detran e em escolas sobre mobilidade urbana e me coloco à disposição para construir o conteúdo do curso e ministrar palestras com dicas práticas para usar a bicicleta no dia a dia.

 

IMG_4167_Bsb_02agosto2012_Palestra_MobilidadeBicicleta_Curso_MobilidadeCidada_DetranDF_editDetran-DF (Diretoria de Educação), 2/8/2012 IMG_5824_Bsb_11setembro2012_PalestraMobilidade_EscolaCatolica_editEscola Católica (Taguatinga), 11/9/2012

Palestras com orientações práticas para pedalar em segurança.

 

Com o recente lançamento de bicicletário e vestiários no Palácio do Buriti, um curso teórico-prático sobre o uso de bicicleta como meio de transporte seria um grande aliado na busca por um modelo de mobilidade saudável e ambientalmente correto. O trabalho educativo voltado aos servidores dos órgãos do GDF equipados com bicicletário complementaria o investimento em infraestrutura.

 

Resposta do Detran sobre o curso

 

O Brasília para Pessoas tem feito regularmente solicitações ao GDF com base na Lei de Acesso à Informação. Ao saber da notícia sobre mais uma edição do curso para superar o medo de dirigir, enviamos perguntas ao órgão.

 

Uma das questões enviadas referia-se à relevância do curso considerando a Política Nacional de Mobilidade Urbana (princípio do “desenvolvimento sustentável das cidades” e diretriz da “prioridade dos modos de transportes não motorizados sobre os motorizados e dos serviços de transporte público coletivo sobre o transporte individual motorizado”) e o fato de empresas privadas oferecerem cursos voltados à superação do medo de dirigir.

 

Em resposta, o Detran informou que o curso de superação do medo de dirigir “está em perfeita consonância com a Política Nacional de Trânsito, em especial, quanto aos objetivos de ‘Priorizar a preservação da vida, da saúde e do meio ambiente, visando à redução do número de vítimas, dos índices e da gravidade dos acidentes de trânsito e da emissão de poluentes e ruídos’ e o de ‘Efetivar a educação contínua para o trânsito, de forma a orientar cada cidadão e toda a comunidade, quanto a princípios, valores, conhecimentos, habilidades e atitudes favoráveis e adequadas à locomoção no espaço social, para uma convivência no trânsito de modo responsável e seguro’, visto que no curso não são abordadas apenas técnicas para redução da ansiedade no trânsito, mas são abertas reflexões sobre o papel de cada cidadão para a construção de um trânsito mais seguro e civilizado.

 

O texto da solicitação e a resposta completa podem ser consultados na seção do blog voltada às informações obtidas sobre mobilidade urbana.

 

SAIBA MAIS:

- Passo a passo de como solicitar informações sobre mobilidade

http://www.mobilize.org.br/noticias/9302/cidadania-e-mobilidade–como-cobrar-direitos-e-exigir-melhorias-do-poder-publico.html

Cidadania e mobilidade: Como cobrar direitos e exigir melhorias do poder público

 

- Vídeo Brasília: capital das ciclovias [cenas dos trajetos diários de bicicleta]

Video_Brasilia Capital das Ciclovia_print screen_2

(clique para assistir ao vídeo)

 



Compartilhe

Comente

1 Comentário

Ada
Enviado 4 de agosto de 2017 às 17:25 | Permalink

Novamente ótima postagem..
“Diversas notícias, especialmente de capitais europeias, comprovam a tendência de priorizar as pessoas, em vez de automóveis.”

Brasília tinha tudo pra ser uma cidade exemplar…mas o que vemos é algo bem distinto.
Falta principalmente educação dos motoristas que acham que porque estão num carro são superiores aos pedestres e ciclistas.
Estacionam em cima de calçadas, na frente da saída das ciclovias e não estão nem aí.
Quando você vai educadamente falar que aquele espaço não deveria ser de um carro, a maioria apresenta uma resposta mal educada…

São pessoas em sua maioria com alto nível de escolaridade, mas de educação acho que não é bem assim…

Mas a luta é diária e sigo pedalando e tendo a bike como meu meio de transporte.

Seu e-mail nunca é exibido. Campos obrigatórios são marcados *

*
*
*


Busca no Blog
Com a palavra...
Irene Ana Paula Borba
Arquiteta e Urbanista. Mestre e Doutora em Transportes (UnB e UL - Lisboa). Professora do UniCEUB (Centro Universitário de Brasília). Pesquisadora Colaboradora do Instituto Superior Técnico (IST - Lisboa). Pesquisadora Responsável pelo Grupo de Pesquisa PES Urbanos (Pesquisa em Espaços Sociais Urbanos) vinculado ao CNPq. A paixão por andar a pé existe desde sempre, mas se ampliou na academia (após a leitura de muitos teóricos como Jane Jacobs e Jan Gehl - seus maiores inspiradores) e após a finalização da tese de doutorado (em que estudou em profundidade o pedestre), decidiu aliar a teoria à prática. Tornou-se, coorganizadora do Jane's Walk em Brasília e colaboradora do Mobilize. E hoje é conhecida como Paulinha Pedestre.

Irene Uirá Lourenço
Servidor público e ambientalista. Usa bicicleta no dia a dia há 15 anos e, por opção, não tem carro. A família toda pedala, caminha e usa transporte coletivo. Tem como paixão e hobby a análise da mobilidade urbana, com foco nos modos saudáveis e coletivos de transporte. Com duas câmeras e o olhar sempre atento, registra a mobilidade em Brasília e nas cidades por onde passa. O acervo de imagens (fotos e vídeos), os artigos e estudos produzidos são divulgados e compartilhados com gestores públicos e técnicos, na busca de escapar do modelo rodoviarista atrasado e consolidar o modelo humano e saudável de cidade. Atualmente é voluntário do Bike Anjo, colaborador do Mobilize e coorganizador do Jane’s Walk em Brasília.
Posts mais lidos
Categorias
Arquivo
Realização
Associação Abaporu
Desenvolvimento
MSZ Solutions
Comunicação
Mandarim Comunicação
Patrocínio
Itau

Allianz
Apoio
Ernst & Young
Prêmio
Empreendedor Social
Prêmio Empreendedor Social