Viaje o país todo de magrela, junto com o grupo Pedal

Criado em 2008 por um grupo de amigos da cidade de São Carlos (SP), o Pedal promove cicloviagens de lazer e turismo por trilhas e paisagens naturais do Brasil

Notícias
 

Fonte: Mobilize Brasil  |  Autor: Luiz Gonçalves Junior / Mobilize*  |  Postado em: 27 de junho de 2014

Pedal: contato com paisagens naturais

Grupo Pedal na praia de Prumirim, em Ubatuba-SP

créditos: Divulgação

 

O Mobilize aproveita que as férias de julho se aproximam e, deixando um pouco de lado a 'mobilidade urbana', faz um passeio diferente, de bike, por trilhas e paisagens naturais do Brasil. Esta reportagem apresenta a proposta de cicloturismo do grupo Pedal - Projeto de Educação Ambiental e Lazer, criado por um grupo de amigos ligados à Universidade Federal de São Carlos (UFSC), no interior paulista. 

 

Quem enviou a sugestão de pauta foi o Luiz Gonçalves Junior, leitor do Mobilize e pesquisador da UFSC, que assina o texto abaixo. Ele conta que tudo começou em 2008, quando alguns amigos da universidade, interessados em curtir paisagens não urbanas, se reuniu para criar um projeto que servisse como alternativa de lazer desvinculada do universo do consumo, e que propiciasse um contato maior com matas, cachoeiras, praias e trilhas da região e de outros pontos do território brasileiro.

 

A seguir, leia o relato do próprio Luiz Gonçalves, que fala das viagens já feitas pelo Pedal, mostrando em fotos os diferentes pontos por onde o pessoal se aventurou de magrela: 

 

"Iniciamos em 2008 alguns passeios e viagens de bicicleta. Os primeiros mais curtos, restritos a pequenas trilhas na região de moradia/estudo/trabalho (São Carlos, interior de São Paulo), pois ainda tínhamos necessidade de nos preparar para percursos de mais fôlego. 

 

Como a fruição de lazer proporcionada pela bicicleta era cada vez maior, começamos a ir além, para lugares como: circuito histórico das fazendas da região - Fazenda Vale do Quilombo, Fazenda Santa Maria e Fazenda Conde do Pinhal; distritos vizinhos, como Santa Eudóxia e Água Vermelha, cidades próximas como Ibaté e Itirapina, e Araraquara. Veja as fotos:

 

 

Aos poucos o grupo foi ganhando mais adeptos e, em janeiro de 2009, realizou sua primeira cicloviagem, para o balneário de Águas da Prata, interior de São Paulo. Pedalando aproximadamente 300 km em 6 dias, fomos conhecendo diversas cachoeiras nas localidades do percurso - Salto do Pântano, em Descalvado; Cascatinha, da Prata, Sete Quedas e Ponte de Pedra, em Águas da Prata. Também visitamos o Parque Estadual de Porto Ferreira e fizemos parte do percurso em terra do Caminho da Fé.

 

Ao retornarmos desta primeira cicloviagem, nossas conversas, histórias e apresentação de fotos animaram alguns amigos a participar conosco de outros passeios na região, em geral aos finais de semana. O objetivo é que seguissem junto conosco também na próxima viagem, já em planejamento. 

 

Assim, em janeiro de 2010 seguimos para Paraty, no litoral do Rio de Janeiro. Pedalamos 650 km, passando por 19 cidades, algumas do interior paulista - Santa Cruz das Palmeiras, São João da Boa Vista, Piquete, Lorena, Guaratinguetá, Cunha etc. -  e mineiro - Poços de Caldas, Pocinhos do Rio Verde, Pouso Alegre, Santa Rita do Sapucaí, entre outras. Nesta aventura, contamos com mais participantes, tendo pela primeira vez no grupo duas mulheres e dois adolescentes. Parte do trecho final desta viagem foi feito pela Estrada Real.

 

No início de 2011 realizamos nossa terceira cicloviagem, pedalando 750 km entre São Carlos-SP e Angra dos Reis-RJ, passando nas cidades paulistas de Rio Claro, Limeira, Itapira, Águas de Lindóia, Bragança Paulista, Jacareí, Taubaté e Ubatuba, e novamente entrando em Paraty e Trindade, no Rio, e pela bela e ainda não visitada por nós enquanto cicloturistas Angra dos Reis e Ilha Grande.

 

A quarta cicloviagem aconteceu em 2012. Foram 500 km pedalados ao longo de 13 dias entre São Carlos e, já em Minas, na região da Serra da Canastra. Nessa cicloviagem, pela primeira vez contamos com um estrangeiro participando do grupo, o professor doutor Sergio Toro, da Universidad Austral de Chile, que estava no Brasil à época realizando pós-doutorado na UFSC. Desta vez pedalamos por cidades do interior paulista como Ribeirão Preto e Altinópolis, e em território mineiro, como São Sebastião do Paraíso, Delfinópolis, São Roque de Minas e Vargem Bonita.

 

Rota das Emoções (MA)

Em 2013 realizamos a “Rota das Emoções” (fotos abaixo), assim chamada em alusão às emoções proporcionadas pelas práticas que incorporamos na viagem, como trekking, surf, windsurf, kitesurf, trilhas off road etc., ligadas ao turismo de aventura e ao ecoturismo, pois os pontos centrais do percurso abrangem o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses (MA), a área de proteção ambiental do Delta do Parnaíba (PI) e o Parque Nacional de Jericoacoara (CE).

 

 

Como de costume, o grupo escolheu este trajeto em conjunto, após apresentação de algumas propostas. A ideia da “Rota das Emoções” foi sugerida por membros do Pedal que, em viagem a São Luís do Maranhão, ficaram sabendo que agências de turismo da região ofereciam o transporte 4x4 no sentido São Luís-Fortaleza.

 

A partir da opção por tal rota o grupo pesquisou a viabilidade de realização desta viagem em bicicleta e descobriu, por relatos de outros praticantes de cicloturismo na internet, diversas possibilidades de trajetos e que a pedalada no sentido Fortaleza-São Luís era favorecida pelo vento que naquela região sopra constantemente na direção leste-oeste. Isso foi decisivo para a escolha deste roteiro.

 

Também o período da viagem foi decidido em acordo entre os participantes, de modo a conciliar o período de férias de todos. Foram 20 dias de viagem, entre dois e 21 de janeiro de 2013, considerando os dias de deslocamento por avião São Paulo-Fortaleza e o retorno São Luís-São Paulo. Em função das características do terreno e do tempo disponível, optamos por usar outros transportes além da bicicleta (e do avião): ônibus, transporte 4x4 e balsas para travessia de rios.

 

Ruta Uruguay -Argentina

Recentemente, em janeiro de 2014, realizamos o roteiro "Ruta Uruguay -Argentina”. Seguimos de avião de São Paulo para Montevidéu (Uruguai) e de lá pedalamos cerca de 650 km entre Montevidéu e Buenos Aires (Argentina), ao longo de 23 dias.

 

No Uruguai pedalamos por cidades litorâneas, como Montevidéu, Piriápolis, Floresta, Atlântida, Punta del Este; e por cidades do interior, que fazem parte da “Ruta del Viño”: Santa Lucia, San José, Canellones e Colônia Sacramento. Na Argentina permanecemos mais na capital, Buenos Aires, mas também visitamos Tigres.

 

Belas paisagens e problemas ambientais

De modo geral, em todas as cidades, nas seis cicloviagens, fomos bem acolhidos pelas comunidades locais, que sempre se mostraram curiosas por conhecer os/as membros do grupo, saber de onde vínhamos, para onde íamos e a nossa motivação para o cicloturismo.

 

Conhecemos belas paisagens, vales e serras. Também desfrutamos de rios límpidos, cachoeiras refrescantes e praias paradisíacas. Além do conhecimento e reconhecimento de outros valores e costumes, comidas e bebidas típicas, estas viagens nos possibilitaram aprender com diferentes pessoas e culturas e, em alguma medida, também ensinar.

 

Por outro lado, percebemos também os problemas advindos da falta de cuidado com o meio ambiente, como resíduos jogados no solo: latas e garrafas PET, embalagens plásticas, pontas de cigarro etc. Vimos também muitas árvores cortadas à beira do acostamento das rodovias, agressão a matas ciliares e a consequente erosão dos rios, além de vastas áreas destinadas à monocultura, principalmente cana-de-açúcar.

 

Ainda nos deparamos, em janeiro de 2010, com os estragos causados pelas enchentes em São Luís do Paraitinga e Cunha, banhadas pelo rio Paraitinga, e nas cidades banhadas pelo Rio Paraíba do Sul, como Piquete e Lorena. Por sorte, soubemos também de grupos que vem trabalhando em prol do meio ambiente, como o Núcleo Picinguaba, em Ubatuba-SP e a Brigada Mirim Ecológica de Ilha Grande-RJ.

 

De nossa parte, tendo em vista que o Pedal reúne vários educadores - vinculados a escolas públicas de educação básica e superior - as observações colhidas nestas cicloviagens, tanto as positivas como negativas, têm levado o grupo a promover intervenções no âmbito da educação escolar e não escolar, abordando temáticas como ciclismo, lazer, educação ambiental e qualidade de vida. O intuito é promover debates e reflexões que conscientizem crianças, jovens e adultos sobre a interface destes temas.

 

Acreditamos que a bicicleta, apresentada deste modo, é uma rica oportunidade para uma vivência respeitosa do outro, do ambiente e de si mesmo, podendo ser usada enquanto meio de deslocamento para o trabalho ou para a fruição do lazer, reduzindo enormemente a emissão de gases poluentes e descarte de resíduos, fomentando benefícios do exercício relacionados a promoção da saúde, e ainda estimulando a crítica acerca da mobilidade urbana, do lazer e da educação ambiental.

 

Serviço

Pedal - Projeto de Educação Ambiental e Lazer

Contatos: [email protected]

Links: 

http://www.ufscar.br/~defmh/spqmh/pedal.html

http://pedaldafederal.blogspot.com.br/2013/01/saida-de-icarai-de-amontada.html

http://pedalconsciente.blogspot.com.br/

 

*Edição: Regina Rocha/Mobilize Brasil 


Leia também:

Pedalando pelo mundo 

Bicicleta, a melhor forma de se locomover na Holanda 

Conheça o Ibirapuera de bike; empresa lança rota histórica do parque

Ciclista é mais feliz que motorista de carro, diz pesquisa

 


  • Compartilhe:
  • Share on Google+

Comentários

Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro!!!

Clique aqui e deixe seu comentário