Mutirão avalia acessibilidade em área da paralimpíada no Rio

Equipe do app Biomob inspecionou entorno da Arena Parque dos Patins, palco de evento-teste no último fim de semana. Faltam recursos básicos e calçadas são intransitáveis

Notícias
 

Fonte: Mobilize Brasil  |  Autor: Aline Souza  |  Postado em: 09 de setembro de 2015

A um ano da Paralimpíada, mutirão avalia acessibil

Ativistas durante avaliação no dia 7, no Rio

créditos: Valmir Souza/Biomob


Você já reparou nas condições das calçadas da sua rua, do seu bairro ou perto do seu trabalho? Já percebeu como são esburacadas, desniveladas e sem rampas de acesso para quem tem baixa mobilidade? Isso quando existem, não é mesmo? O tema da acessibilidade nas cidades do Brasil ainda é pouco discutido no país.

 
Para atender a esse desafio, no final de semana, a equipe do aplicativo Biomob realizou algumas atividades de reconhecimento no entorno da Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio, local de disputas olímpicas no próximo ano e também onde serão realizadas provas da Paralimpíada de 2016. A ideia foi avaliar os bares, restaurantes e outros estabelecimentos, examinar também as calçadas, rampas de acessibilidade e estacionamentos da área em um raio de 3 km, além dos sistemas de transportes que atendem a região da Arena de Eventos Parque dos Patins. De acordo com Valmir Souza, um dos criadores do aplicativo, a ação vai “nutrir de informação o aplicativo Biomob e disponibilizar essas informações gratuitamente aos usuários e órgãos afins”, explicou.

 

Apesar do tempo nublado e frio, a equipe de voluntários saiu a campo e obteve resultados relevantes. No Parque, a equipe encontrou apenas duas vagas de estacionamento reservadas para cadeirantes, mas com marcação muito precária no solo. A área não dispõe de vagas para idosos e as opções de banheiros adaptados são quase nulas.

 

Além disso, existem obstáculos intransponíveis para cadeirantes em alguns trechos do entorno da Lagoa, área que é servida por poucas opções de transporte público.Como pontos positivos, a equipe do Biomob localizou o Shopping Lagoon e o supermercado Pão de Açúcar, ambos conceituados com boas notas de acessibilidade. 

 

Para as atividades de avaliação da acessibilidade na Lagoa, a equipe do Biomob teve o apoio de colaboradores e organizações parceiras como Viva Mais Livre, Mão na Roda, Praia para Todos, integrantes da comissão de acessibilidade da OAB - RIO e o Mobilize Brasil, além do CVI/RJ

 

Números da deficiência motora

Dados do Censo de 2010 apontam que no Brasil são 13 milhões de pessoas com dificuldade de se locomover. Apenas no eixo Rio-SP estão 40% desse total. O maior problema da falta de acessibilidade, de acordo com Valmir, é a atitude. Para ele, “nada vai mudar enquanto as pessoas não se conscientizarem de que todos iremos envelhecer e que corremos o risco de um dia perder a mobilidade”, afirmou.

 

Para circular

No celular, o Biomob detecta a localização do usuário e sugere locais próximos, analisando a necessidade de cada pessoa. A ferramenta conta com informações de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte, Recife e Porto Alegre, entre outras cidades, somando mais de mil endereços cadastrados. Atualmente está disponível somente na versão para Android, mas muito em breve estará na versão IOS e também acessível na web, no site www.biomob.com.br.  

Para baixar o Biomob, basta acessar a loja virtual do GooglePlay: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.biomob&hl=pt_BR

 

Leia também:

A um ano da paralimpíada, Rio tem desafios para tornar cidade acessível 

Organização do transporte público marca primeiro dia da Paralimpíada 


  • Compartilhe:
  • Share on Google+

Comentários

Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro!!!

Clique aqui e deixe seu comentário

Mais lidas


  • Nenhuma notícia encontrada.