Prefeitura de SP quer prédios comerciais nos terminais de ônibus

Administração prepara modelo de concessão para empresas explorarem 27 terminais da cidade. Três deles já serão usados como teste

Notícias
 

Fonte: G1/ SP2  |  Autor: G1  |  Postado em: 16 de agosto de 2017

Terminal Princesa Isabel, um dos que entra nas con

Terminal Princesa Isabel, um dos que entra nas concessões

créditos: TV Globo/Reprodução

A Prefeitura de São Paulo vai convidar a partir de desta quarta-feira (15) as empresas interessadas em administrar, por pelo menos 30 anos, quase todos os terminais de ônibus da capital. A proposta é que 27 terminais virem prédios comerciais de cinco andares - contando aí com o espaço para os ônibus no térreo.

Os terminais Capelinha e Campo Limpo, na zona sul, e Princesa Isabel, no centro, serão usados como teste. 

O modelo de como a iniciativa privada deve gerenciar os terminais de ônibus deve sair por volta do fim do ano. A gestão Doria diz que o gasto anual com os terminais é de R$ 150 milhões e a arrecadação é de R$ 7 milhões.

Concessões
O pacote de concessões à iniciativa privada ainda não foi aprovado pelos vereadores, mas a Prefeitura já anunciou que quem administrar os terminais também vai poder construir prédios comerciais e residenciais nos espaços.

“Se hoje temos um terminal de 20 mil m2 que só serve para os ônibus, é térreo e tem no mínimo uma cobertura, então esta construção vai poder ter quatro pisos em cima que poderão ser shopping, habitação, comércio, faculdade, uma série de serviços inclusive para a própria população”, disse o secretário Wilson Poit. “A ideia é que seja uma concessão que depois retorna para a cidade.”

O edital de Chamamento Público do Procedimento de Manifestação de Interesse -PMI para apresentação de estudos para concessão por 30 anos de 24 Terminais de Ônibus Urbanos deve ser lançado no Diário Oficial na quinta-feira (17). Somados, estes 24 terminais têm área de 360 mil m² e recebem diariamente 712 mil passageiros.

Já os outros três terminais - Capelinha, Campo Limpo e Princesa Isabel -, embora  não façam parte deste procedimento, serão concedidos à iniciativa privada como uma espécie de projeto-piloto para as demais concessões. 

“A concessão prevê, além da operação, manutenção e exploração do terminal de ônibus, que o concessionário deverá implantar as medidas de qualificação urbana nas quadras contidas em seu entorno, em um  raio de 600 m de cada terminal, raio esse estabelecido no Plano Diretor”, afirmou por meio de nota a secretária Municipal de Urbanismo e Licenciamento, Heloísa Proença.

A prefeitura de São Paulo ainda afirmou que vai ressarcir as empresas por estes estudos em até R$ 24,4 milhões e que investidores estrangeiros poderão participar.

Leia também:
Lançada consulta pública sobre concessão de terminais de ônibus em SP
Prefeitura de SP apresenta proposta para edital do transporte público
Prefeitura de SP quer que cobrador de ônibus vire motorista
Projeto de Lei para ônibus limpos em São Paulo está muito longe ser avanço


  • Compartilhe:
  • Share on Google+

Comentários

Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro!!!

Clique aqui e deixe seu comentário

Mais lidas


  • Nenhuma notícia encontrada.