Salvador terá "monotrilho do subúrbio". Elétrico e autônomo

Diretor da BYD esclarece dúvidas sobre o o sistema que será implantado na antiga ferrovia do subúrbio, em Salvador. Não será um VLT, mas um monotrilho

Notícias
 

Fonte: Mobilize Brasil  |  Autor: Marcos de Sousa /Mobilize Brasil  |  Postado em: 28 de maio de 2018

Monotrilho SkyRail em operação na cidade de Shenzh

Monotrilho SkyRail em operação na cidade de Shenzhen, China

créditos: BYD Divulgação


Publicada semana passada (24) pela imprensa da Bahia, notícia sobre a empresa vencedora da licitação do VLT de Salvador causou certa confusão entre os leitores, já que nota citava a solução de monotrilho e a vencedora como o consórcio formado pela Metrogreen e a chinesa BYD, conhecida por produzir caminhões e ônibus. Para esclarecer as questões, fomos conversar com  Alexandre Liu, Diretor de Negócios da BYD, empresa que venceu o leilão realizado na Bolsa B3, de São Paulo.

 

Tecnologia: monotrilho elevado
A tecnologia vai ser a mesma usada em Shenzhen, na China: um monotrilho leve, que circulará sobre um trilho único, uma viga de concreto. É parecida com o sistema usado no metrô de São Paulo, nas linhas Prata e Ouro. A diferença é que a interferência visual será bem menor. No caso de Salvador, a estrutura terá entre 3 metros a 5 metros de altura, menos do que a altura de um poste comum de eletricidade. Os trens funcionarão automaticamente, sem operadores.

 

Anúncio do resultado do leilão, dia 24, na bolsa B3, em SP: Alexandre Liu é o segundo à esquerda



Flexibilidade
Outra vantagem apontada por Alexandre Liu para o caso de Salvador é a capacidade do sistema de vencer rampas. O monotrilho, explica ele, é a única tecnologia que consegue ligar facilmente as partes alta e baixa da cidade, pois sobe rampas de até 10% de inclinação e consegue fazer curvas com raio de 45 metros, bem menores do que os sistemas do tipo VLT, segndo o executivo da BYD.

 

Filme institucional da BYD sobre o sistema de monotrilho em operação na China


Capacidade
O sistema permite composições com até oito carros, mas no caso de Salvador, serão quatro carros e capacidade total entre 400 a 600 pessoas por composição. A linha vai operar com 26 trens, com um total de 104 carros. A previsão é de trens com intervalo de 10 minutos. Todo o sistema terá wifi e cobrança por reconhecimento facial.

 

Prazo e operação
Os 19 km de linhas e as 22 estações devem ser entregues em 24 meses. A primeira fase, com 3 km, ficará pronta e entrará em operação em 18 meses. Toda a construção será feira pelo Consórcio, que terá o direito de explorar a linha por 20 anos. A alimentação das composições será feita em 750 volts, mas todos os carros serão dotados de baterias para manter os trens em funcionamento mesmo com a eventual falha na energia da rede. A BYD também será responsável por construir as subestações de alimentação.

Mais informações e detalhes:
Site do leilão na B3 
Secretaria de DesenvolVimento Urbano da Bahia (Sedur)

 

Leia também:
Anunciado o vencedor da licitação do VLT do Subúrbio, em Salvador
Trem do Subúrbio de Salvador será substituído por VLT
BRT de Salvador é criticado por maioria em audiência pública


  • Compartilhe:
  • Share on Google+

Comentários

ANÔNIMO - 12 de Junho de 2018 às 16:18 Positivo 1 Negativo 1

amei a ideia super apoio, moro no suburbio ferroviario, alem de chamar atenção positiva para o suburbio, vai melhorar o transporte, SUPER APOIO!!

Almir Luiz dos sántos - 12 de Junho de 2018 às 15:53 Positivo 3 Negativo 0

Instálár o monotrilho na avenldá avenidá afranio peixoto no espaço central entre a ciclovia para mim a melhor opçáo.melhorar o trem que custa .50 centavos

Clique aqui e deixe seu comentário