Bike Rio: novas laranjinhas começam a se espalhar pela cidade

Alguns bairros do Rio já têm o novo modelo operando a pleno vapor. Até o fim de abril, previsão é que todas as 260 estações, com 2.600 bicicletas, estejam instaladas

Notícias
 

Fonte: O Globo  |  Autor: Tatiana Furtado  |  Postado em: 27 de fevereiro de 2018

Desde o último dia 20, está funcionando o novo Bik

Desde o último dia 20, está funcionando o novo Bike Rio

créditos: tembici

Desde o último dia 20, o novo Bike Rio está nas ruas. Por enquanto, apenas um terço das estações está em funcionamento (Zona Sul, Centro e Tijuca já foram contemplados). As demais serão implementadas até o fim de abril, num total de 260 estações e 2.600 bicicletas espalhadas pela cidade. Houve adensamento de estações para absorver o maior público em determinados pontos.

 

A Tembici, empresa que assumiu a operação do sistema de compartilhamento no segundo semestre do ano passado, garante que as bikes são mais seguras e modernas. Incluem dispositivos para evitar roubos, algo bem comum nos postos das laranjinhas.

 

"Episódios de roubo e vandalismo acontecem com todos os sistemas de bike-sharing no mundo. Tivemos problemas pontuais, que resolvemos reposicionando as estações para locais mais próximos e de maior movimento. Episódios assim trazem bastante aprendizado, inclusive com o reforço das estações para evitar novos casos. De qualquer forma, esse é um tema que nos preocupa sempre e que tem motivado atuação conjunta com autoridades locais, já que na prática essa é uma questão de segurança pública", disse a Tembici em nota.

 

Nova tecnologia

Em alguns bairros da Zona Sul, o novo modelo já está funcionando a pleno vapor. Placas solares fornecem energia às estações e 30% delas terão totens para pagamento digital. Nesses casos, não será necessário baixar o aplicativo ou se cadastrar no site. Basta usar o cartão de crédito para retirar a bicicleta. As regras e preços continuam valendo: R$ 5 a diária e R$ 10 o plano mensal; e além de viagens ilimitadas de até 60 minutos, respeitando o intervalo de 15 minutos entre uma viagem e outra. Quem não respeitar o intervalo ou ultrapassar o período terá a cobrança de R$ 5,00 por hora adicional.

 

Agora, o usuário também poderá informar se a bike tiver algum problema. Na vaga de cada bike, há um botão de manutenção que ao ser acionado bloqueia a bicicleta que não poderá ser utilizada até que o reparo seja feito.

 

Leia também:
Novo Bike Sampa começa a ser implantado a partir de hoje (19)
BikeRio, Bike Sampa, BikePe, BikePoa etc. mudam de operadora
Itaú responde a dúvidas sobre o Bike PE


  • Compartilhe:
  • Share on Google+

Comentários

Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro!!!

Clique aqui e deixe seu comentário

Mais lidas


  • Nenhuma notícia encontrada.