Motos e carros já congestionam Região Metropolitana de Campinas (SP)

Pedreira é a cidade das motos, com uma motocicleta a cada quatro habitantes. Entre os automóveis, Vinhedo puxa a fila, seguido de Valinhos

Notícias
 

Fonte: Metro  |  Autor: Metro  |  Postado em: 25 de outubro de 2017

Trânsito congestionado em avenida de Campinas (SP)

Trânsito congestionado em avenida de Campinas (SP)

créditos: César Rodrigues/AAN

O número de carros e motos cresce a cada dia e já trava o trânsito das maiores cidades da Região Metropolitana de Campinas (RMC), em São Paulo. Segundo números do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), Pedreira é a cidade que tem mais motos em relação ao número de habitantes. Já Vinhedo é a que mais tem automóveis.

Em Pedreira, são 9.781 motos para 46.094 habitantes. A cada 4,7 habitantes, um possui uma moto.

Segundo o professor da Unicamp Creso de Franco Peixoto, especialista em trânsito, o perfil da cidade pode ter influência direta nos dados.

“Em regiões metropolitanas onde você tem deslocamentos de áreas que sejam relativamente pequenas, e não raro com uma economia mais fraca e população com renda per capta menor, normalmente, se não há transporte público eficiente, existe a procura por soluções, que é onde se busca comprar uma moto.”

Além de Pedreira, as cidades que mais possuem motos também têm um perfil parecido, como Jaguariúna, Artur Nogueira e Santa Bárbara d’Oeste.

Campinas possui um número bastante inferior, proporcionalmente. No total, existe uma moto para cada 11,69 habitantes. A cidade tem 1,2 milhão de moradores.

A cidade que tem menor número de motos em proporção é Hortolândia, com uma moto para cada 14,58 pessoas.

Em automóveis, quem lidera o ranking é Vinhedo. Um carro para cada 1,95 pessoa. Na sequência aparece Valinhos, com índice de 2,01 e Campinas, com 2,03. A primeira tem 73,8 mil habitantes e a segunda, 122,1 mil, respectivamente.

A cidade menos motorizada da região é Engenheiro Coelho, onde a cada quatro pessoas, apenas uma tem carro, quase a metade dos outros municípios.

“Quando se fala em grande número de carros, principalmente em Valinhos e Vinhedo, é importante lembrar que tratam-se de cidades com renda per capta mais alta, presença de muitos condomínios. Isso revela maior número de pessoas das classes A e B e existe uma tendência dessas pessoas pensarem em segurança. Então, optam por ter um carro particular, por se tratar de um risco menor”, comenta Peixoto. (Veja ao lado a relação moto e carro na região).  

Arte RMC

Leia também:
Caixa anuncia acordo para financiar motos. Quem paga por isso?
"Só escravidão supera moto em destruição social"
Abaixo-assinado pede volta do VLT em Campinas (SP)




  • Compartilhe:
  • Share on Google+

Comentários

Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro!!!

Clique aqui e deixe seu comentário

Enquetes
Enquete Você deixaria o carro em casa, e até o transporte público, se as calçadas de sua cidade fossem melhores para caminhar?