Proposta de plano de mobilidade em Foz do Iguaçu prioriza pedestres e ciclistas

Relatório preliminar do Parque Tecnológico Itaipu, base para a construção do plano de mobilidade, foi apresentado em audiência pública. Documento final previsto para 19/3

Notícias
 

Fonte: ClickFoz  |  Autor: ClickFoz  |  Postado em: 22 de fevereiro de 2018

Transporte público, ciclistas e pedestres serão pr

Transporte público, ciclistas e pedestres serão priorizados

créditos: Marcos Labanca/H2Foz

Qualidade no deslocamento do pedestre, revisão da Lei Municipal de Calçadas, programas de incentivo ao uso de bicicletas, fortalecimento do cartão único e redução dos impactos de grandes veículos de circulação em áreas centrais da cidade são alguns dos eixos apresentados como propostas para o Plano de Mobilidade Urbana de Foz do Iguaçu (PR), discutidos na última terça-feira (20) na Câmara de Vereadores.

 

Esta foi a segunda audiência pública promovida pelo Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e Prefeitura de Foz do Iguaçu, por meio de parceria para a construção do Plano de Mobilidade Urbana do município. O documento servirá como instrumento de referência para a aplicação de novos modais na cidade, e na revisão e elaboração de projetos de mobilidade que melhor atendam à população e ao turista.

 

No relatório preliminar apresentado pelos técnicos do PTI, as propostas foram divididas nas categorias: mobilidade de pedestre, mobilidade cicloviária, transporte coletivo, transporte motorizado e individual, transporte de carga, e mobilidade turística.

 

As estratégias e propostas apresentadas são resultado de todo trabalho que vem sendo feito entre as instituições responsáveis, com base em encontros, workshops para coleta de dados e as audiências públicas, que abriram espaço para um diálogo mais próximo com a comunidade.

 

Plano de Mobilidade Internacional

Algumas das sugestões apontadas no relatório estabelecem curto prazo para realização, como a proposta de criação de um Plano de Mobilidade Internacional, ainda a ser discutido mais amplamente, que poderia melhor atender às necessidades e projetos de mobilidade do Brasil, Paraguai e Argentina, as três fronteiras na área da reserva florestal de Foz. 

 

Os técnicos do PTI entendem que é importante, dentro do processo de construção do Plano Municipal de Mobilidade Urbana, o investimento em projetos e mecanismos que aumentem a preferência das pessoas pelo uso do ônibus na cidade como meio de transporte.

 

Projetos como o da Perimetral Leste, de um novo Porto Seco, da segunda ponte que ligaria Brasil ao Paraguai, novas áreas de estacionamento para caminhões e alternativas que desviem o tráfego pesado de caminhões no centro da cidade também fazem parte do conjunto de propostas do relatório preliminar.

 

“O próximo passo é a realização da terceira e a última audiência pública, marcada para o dia 19 de março. Até lá, temos a validação com a Prefeitura de tudo o que colocamos como ações, diretrizes e metas no relatório preliminar, e ainda a discussão das estratégias e principais obras que estamos prevendo para Foz do Iguaçu num horizonte de dez anos. Depois disso, faremos a formatação de todo material e realizaremos a entrega final ao município do Plano de Mobilidade Urbana”, pontuou o gerente de Infraestrutura e Obras do PTI, Rudi Paetzold.

 

Leia também:
Ministérios terão programa de mobilidade com veículos elétricos
Ciclovia de 160 km deve ligar Cascavel a Foz do Iguaçu (PR)
Seis anos da Política Nacional de Mobilidade


  • Compartilhe:
  • Share on Google+

Comentários

Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro!!!

Clique aqui e deixe seu comentário

Mais lidas


  • Nenhuma notícia encontrada.