Acordo busca zerar emissões no transporte público de São Paulo

Prefeitura anuncia parceria técnica com duas organizações internacionais para acelerar a implantação de uma frota de ônibus limpa no prazo de 20 anos

Notícias
 

Fonte: Mobilize Brasil  |  Autor: Mobilize Brasil  |  Postado em: 04 de outubro de 2019

Um dos 15 ônibus elétricos incluídos na frota de S

Um dos 15 ônibus elétricos incluídos na frota de SP em 2018

créditos: Divulgação PMSP

Uma reunião realizada na última terça-feira (1) entre Prefeitura de São Paulo e duas organizações internacionais - a C40 e o ICCT* - firmou parceria técnica que possibilitará acelerar a transição para uma frota de ônibus com zero emissõees de poluentes e gases de efeito estufa na capital. 

 

O anúncio do acordo de cooperação técnica foi feito pelo presidente SPTrans, Paulo Cézar Shingai, e confirmado por Edson Caram, secretário de Mobilidade e Transportes da Prefeitura. 

 

Vale lembrar que a Lei Municipal nº 16.802, de 2018, estabeleceu um prazo de dez anos para a redução de 50% emissões de dióxido de carbono (CO²) dos ônibus usados no transporte municipal e 20 anos para sua total eliminação. No caso do material particulado (MP), a lei prevê uma queda de 95% e a emissão de óxido de nitrogênio (NOx) deverá ser reduzida em 95% até 2028.

 

Para atingir essa meta nas próximas duas décadas, a cidade de São Paulo desenvolve atualmente um projeto piloto com 15 ônibus a bateria. No mesmo sentido, a nova concessão do transporte público da cidade, cujos contratos foram assinados no último dia 6 de setembro, prevê a total renovação da frota de 14 mil veículos em 15 anos. A perspectiva é que pelo menos seis mil novos ônibus estejam circulando na capital paulista até o final de 2020. 

 

“São Paulo tem a oportunidade de se tornar uma das líderes no enfrentamento da crise climática entre as grandes metrópoles da América Latina”, destacou Ilan Cuperstein, vice-diretor regional para a América Latina da C40. “Temos o compromisso e a vontade política e agora estamos trabalhando para favorecer a viabilidade financeira, técnica e operacional dessa importante mudança”, completou o secretário Edson Caram.

 

Projeto Zebra

Além do acordo de cooperação técnica, São Paulo é também uma das cidades apoiadas pelo projeto Zebra de aceleração da transição para ônibus zero emissões na América Latina. Liderado pela C40 e pelo ICCT, o projeto busca garantir o compromisso das cidades, da indústria e das entidades financeiras para implantação de tecnologias limpas de transporte, desenvolvendo para isso atividades que favoreçam a troca de informações e interlocução. 

 

O evento no qual o acordo foi anunciado é uma dessas atividades. Ele reuniu operadores do transporte público, fabricantes de ônibus zero emissões, bancos de desenvolvimento, investidores e consultores, além da Prefeitura, em um dia de apresentações e debates sobre modelos de negócio que favorecem a implementação tecnologias de emissão zero. 

 

Entre os participantes estiveram representantes das fabricantes BYD, Higer e Eletra, de bancos (BNDES, Caixa, BID), de investidores como Asymmetric Return Capital, Siemens Financial Services e Engie, e de organizações como WRI-Brasil e Clean Energy Works. 

 

Ainda durante o evento, representantes do sistema de transporte público de Santiago, como a operadora Metplu´s, compartilharam informações sobre a experiência chilena de transição que já conta com mais de 200 ônibus elétricos em operação na cidade.

 

Poluição

Em São Paulo, a frota de 14 mil ônibus, majoritariamente movida a diesel, transporta 10 milhões de passageiros por dia, percorrendo 3 milhões de quilômetros diariamente, nos dias úteis. 

 

A avaliação dos impactos da poluição do ar na saúde da população, e o que mudaria com a eventual substituição do diesel por ônibus elétricos, foi objeto de uma pesquisa realizada pelo Instituto Saúde e Sustentabilidade em parceria com o Greenpeace. A conclusão é que até 2050, 12.796 vidas seriam salvas se já se tivesse adotado a matriz 100 % elétrica. Em valores evitados em mortes (perda de produtividade evitada), a estimativa é de R$ 3,8 bilhões.

 

*C40 Cities é uma rede de prefeitos comprometida com as metas do Acordo de Paris que conecta 94 das maiores cidades do mundo para que adotem ações climáticas ousadas, com vistas a um futuro mais sustentável. O Conselho Internacional de Transporte Limpo (ICCT) é uma organização independente sem fins lucrativos que fornece pesquisas e análises técnicas aos reguladores ambientais, com vistas a melhorar o desempenho ambiental e a eficiência energética do transporte rodoviário, marítimo e aéreo. 

 

Leia também:
Rio se compromete a ter apenas ônibus zero emissões a partir de 2025
Trocar diesel por gás natural traria economia de até 60% em SP
Transporte responde por 14% das emissões globais
Edital público em Santo André (SP) decreta fim do diesel nos ônibus
Imobilismo e inspeção veicular suspensa agravam poluição em SP


  • Compartilhe:
  • Share on Google+

Comentários

Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro!!!

Clique aqui e deixe seu comentário

Mais lidas


  • Nenhuma notícia encontrada.