Tarifa de transporte público x Renda em várias cidades do mundo

Gráfico gerado pelo Mobilize compara preços de transporte público no Brasil e em várias cidades do mundo

Tarifa de transporte público x Renda em várias cid

Gráfico: no Brasil, transporte pesa mais no bolso

créditos: Marília Hildebrand / Mobilize Brasil

Novas tarifas de transportes públicos marcaram o início do ano de 2019 em todo o Brasil. E em muitas cidades os reajustes superaram - de longe - a inflação dos últimos doze meses. É o caso de São Paulo, onde o aumento passou de 7% e corresponde ao dobro da inflação. Ou Aracaju, onde a prefeitura elevou a tarifa de R$ 3,50 para R$ 4, um aumento de 14,2%. 

 

Na capital sergipana, que agora tem a mais alta tarifa do Nordeste, uma pessoa que use o transporte duas vezes por dia durante o mês gastará cerca de R$ 240, quase 1/4 da renda média mensal de R$ 1.022,00, segundo a pesquisa anual do IBGE. Como se trata de renda média, o impacto desse valor é muito maior para as famílias de baixa renda, que ficam quase impedidas de utilizar o transporte "público".  

 

A constatação, em maior ou menor grau, vale para a maioria da cidades do país, como Curitiba e Londrina (R$ 4,25), Florianópolis (R$ 4,40), Belo Horizonte (R$ 4,05), Uberaba (R$ 3,80), Manaus (R$ 3,80), Recife (R$ 4,40) ou São José dos Campos (R$ 4,30). Em Joinville (SC), a passagem de ônibus passou de R$ 4,30 para R$ 4,40, mas se o passageiro pagar a viagem dentro do coletivo pagará R$ 4,80. 

 

Os valores parecem modestos quando comparados com os preços de transportes públicos na Europa e Estados Unidos, que chegam até a cinco vezes mais do que as tarifas do Brasil. Mas, não é o que parece.

Outras Estatísticas*

Ver todas as estatísticas

  • Compartilhe:
  • Share on Google+

Comentários

Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro!!!

Clique aqui e deixe seu comentário