O pulo do gato: novas estações do metrô de SP

Novas conexões da Linha 5 Lilás permitirão ganhos de até uma hora nas viagens. Fluxos de passageiros também serão alterados com as estações inauguradas hoje (28)

Notícias
 

Fonte: Mobilize Brasil / Metrô  |  Autor: Marcos de Sousa  |  Postado em: 28 de setembro de 2018

Estação Santa Cruz, nova conexão do metrô de São P

Estação Santa Cruz, nova conexão do metrô de São Paulo

créditos: Metro Jornal

Três novas estações da Linha 5 Lilás de metrô de São Paulo foram entregues hoje pela Companhia do Metrô. Com o novo trecho, a rede metroviária paulistana passa a ter 93,6 km. No entanto, o maior impacto da nova operação é a ampliação das possibilidades de conexões, permitindo que o usuário possa optar por caminhos diferentes, dependendo das condições de lotação do metrô a cada dia e horário.

Uma das estações inauguradas  - a Hospital São Paulo  -  vai facilitar o acesso de pacientes ao complexo hospitalar da Universidade Federal de São Paulo, na Vila Mariana. As outras duas estações recém-inauguradas  - Santa Cruz e Chácara Klabin  - ligam o extremo sul da cidade à Linha 1 Azul e Linha 2 Verde, permitindo uma nova configuração de conexões entre todas as regiões da capital paulista. Especialistas em transporte avaliam que quando estiverem operando plenamente, as novas estações irão redistribuir os fluxos de passageiros no metrô, nos trens urbanos da CPTM e também no sistema de ônibus de São Paulo. 

A estação Santa Cruz liga a Linha Lilás à Linha 1 Azul, que cruza a cidade no sentido norte-sul. Outra nova estação, a Chácara Klabin, conecta a Linha Lilás à Linha 2 Verde, permitindo chegar ao bairro de Vila Prudente, na zona sudeste da cidade e à Vila Madalena, a sudoeste, passando pelo eixo da avenida Paulista. 

Com o novo trecho , espera-se uma redução no volume de passageiros na Linha 9 Esmeralda, que circula ao longo do eixo do rio Pinheiros e atende a região de escritórios corporativos da zona sul da cidade. E também um desafogo na Linha 4 Amarela. Mas os técnicos do metrô acreditam que a estação Sé, no centro da cidade, terá um aumento de cerca de 10% no fluxo de pessoas, especialmente nos horários de pico, com o afluxo de trabalhadores que sairão das zonas norte e leste para chegar aos bairros de Moema, Brooklin e Santo Amaro. 

 

Mapa do sistema de trilhos da RMSP: linhas de metrô estão destacadas em cores


Benefícios
Milhares de pessoas poderão poupar mais de uma hora por dia no transporte público. Moradores do bairro de Capão Redondo, a 22 km do Centro, por exemplo, que precisam fazer três baldeações e gastam cerca de 1h20 para chegar à Praça da Sé, poderão fazer o trajeto em 50 minutos, segundo avaliações do metrô. Teatros, cinemas, jogos de futebol, muuseus, universidades e centros hospitalares, além dos locais de trabalho, ficarão muito mais acessíveis, prevêem os técnicos. Eles estimam que a nova linha atrairá mais 240 mil passageiros para o sistema de transporte sobre trilhos e avaliam que Linha 5 Lilás terá um expressivo aumento de passageiros, de 320 mil para até 850 mil por dia. 

Aguardadas desde 2014, as três novas conexões de transportes quase completam a Linha Lilás, cujas obras foram iniciadas em 1998. Uma única estação, a  Campo Belo, continua em obras e deve ser entregue até o final de 2018. A linha nasceu a partir de um trecho ferroviário elevado, construído pela CPTM, a chamada Linha G. Em 2001, sua operação foi transferida para o metrô, já com o nome de Linha 5 Lilás. O trecho, com 8,4 km, foi entregue  em 2002. A ampliação da Linha 5 Lilás, com mais 11 km e 11 estações custou R$ 10 bilhões, incluindo a compra de 26 novos trens, segundo informação do governo estadual de São Paulo. 

Horário de funcionamento
Segundo o metrô, a concessionária ViaMobilidade, responsável pela operação e manutenção da linha, vai operar inicialmente as três novas estações todos os dias, das 10h às 15h, com cobrança de tarifa. Esse formato é chamado de “operação reduzida” e consiste na maturação dos equipamentos e sistemas, como os de alimentação elétrica, sinalização e telecomunicações, permitindo o aperfeiçoamento dos métodos de funcionamento da estação. O horário de atendimento dessas estações será ampliado gradativamente até chegar à operação plena, de domingo a sexta-feira das 4h40 à 0h00, e aos sábados das 4h40 à 1h00, como nas demais estações da rede.
 

Para ganhar tempo
As novas conexões proporcionadas pelas estações Santa Cruz e Chácara Klabin permitirão ganhos de tempo para milhões de pessoas na cidade de São Paulo. Alguns exemplos:

Grajaú (extremo sul)  - Vila Mariana (zona sul)
Antes: 1h23 | Agora: 50 min.

Capão Redondo (extremo sul)  - (centro)
Antes: 1h18 | Agora: 50 min.

Capão Redondo (extremo sul)  - Consolação (centro)
Antes: 1h10 | Agora: 48 min

Itaquera (zona leste)  - Moema (zona sul)
Antes:  2h | Agora: 55 min

 

Leia também:
Movimento cobra retorno de obras do metrô na Brasilândia, em SP
O metrô antes do Metrô
Um guia para quem usa metrô, trem ou VLT
Extensão do metrô nas cidades do mundo (km)


  • Compartilhe:
  • Share on Google+

Comentários

Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro!!!

Clique aqui e deixe seu comentário