Crianças do 5º ano estudam mobilidade urbana em SP

Alunos do Colégio Santa Maria debatem o tema, redigem textos e constroem maquetes com alternativas de transporte para as cidades

Notícias
 

Fonte: Mobilize Brasil  |  Autor: Da Redação/Mobilize Brasil  |  Postado em: 22 de outubro de 2018

Maquete construída pelos alunos do Colégio Santa M

Maquete construída pelos alunos do Colégio Santa Maria

créditos: Mobilize Brasil

"Se as pessoas deixarem de usar os carros, a vida na cidade vai melhorar. Mas será que não haverá problemas com as empresas que vivem do carro, como os postos de gasolina ou as oficinas? Isso não poderá causar desemprego?" A pergunta foi lançada por um aluno de 5º ano do Colégio Santa Maria, na zona sul de São Paulo, durante uma palestra do Mobilize Brasil sobre mobilidade urbana sustentável. 

Foram duas palestras, no dia 15 de outubro, apresentadas pelo editor do Mobilize, o jornalista Marcos de Sousa, no teatro da escola. O convite foi uma iniciativa da professora Rosana Daher, que em sua pesquisa com os alunos localizou o portal como fonte de informação sobre o tema da mobilidade urbana. O assunto está sendo estudado por todas as classes dos quintos anos, como um projeto transversal, que envolve várias disciplinas.

Afinal, os problemas da mobilidade urbana permitem discutir geografia, história, matemática, ciências e até a língua portuguesa. No dicionário, por exemplo, o verbete "pedestre" tem um significado óbvio, de quem circula a pé, mas traz também uma segunda acepção, a de uma coisa "sem brilho, rústica, modesta", reflexo do baixo prestígio dos caminhantes nas políticas públicas.

Durante o ano, os estudantes abordaram a segurança no trânsito, o uso do celular ao volante, o respeito à sinalização, acidentes de trânsito e cuidados com crianças em automóveis. Nas palestras, o representante do Mobilize mostrou a evolução dos sistemas de transportes e seu impacto na ocupação do solo urbano, os problemas gerados pelo uso excessivo do carro, como a poluição, doenças e acidentes, discutiu a baixa eficiência energética do transporte individual motorizado, e explicou que até o próprio idioma está marcado pela forma como as pessoas se deslocam pelas cidades.  


Apresentação: analogia do carro com o bigmac para explicar o conceito de externalidades
Foto: Gustavo de Almeida | Colégio Santa Maria
 

Questões polêmicas
Apesar da idade, as crianças levantaram excelentes perguntas sobre modos de transporte, segurança e recursos necessários para mudar a maneira como as pessoas se deslocam pelas cidades. A questão do jovem estudante, no início do texto, ataca um dos grandes desafios para a necessária transformação do modo de mobilidade nas cidades mundiais.

Toda uma economia está baseada no carro, da indústria do petróleo ao frentista do posto, passando pelas companhias de seguros, oficinas, transportadoras e montadoras de veículos. Os automóveis não irão sumir das cidades de um dia para outro, mas governos e empresas precisam estabelecer metas de transição para uma nova economia, baseada em bicicletas e outros veículos leves, trens, ônibus e bondes elétricos. E novas empresas (e empregos) já estão sendo criados para atender a essa nova cadeia econômica.

O projeto "Meio Ambiente  - Mobilidade Urbana Sustentável" do Colégio Santa Maria também gerou uma série de maquetes construídas por cada aluno para mostrar soluções mais seguras e inteligentes de transportes: metrôs, trens, monotrilhos, ciclovias, skates e até helicópteros. 

Veja mais fotos da palestra e sobre o projeto

Leia também:
O papel das crianças nas políticas públicas
Lotação no transporte, maior problema de quem anda com criança 
Crianças descobrem Sorocaba (SP) em cima de uma bike
Bicicletas compartilhadas para crianças chegam ao Recife


  • Compartilhe:
  • Share on Google+

Comentários

Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro!!!

Clique aqui e deixe seu comentário

Mais lidas


  • Nenhuma notícia encontrada.