Mais de 200 novas linhas de metrô devem surgir nos próximos anos

Relatório da UITP aponta que ascensão da frota automatizada, que tem sido destaque nos últimos anos, será predominante daqui para a frente no mundo

Notícias
 

Fonte: Diário do Transporte  |  Autor: Alexandre Pelegi  |  Postado em: 11 de dezembro de 2018

Metrô de Shenzhen (China), um dos 10 mais longos d

Metrô de Shenzhen (China), um dos 10 mais longos do mundo

créditos: Shenzhen Metro

O Statistics Brief sobre os metrôs do mundo, parrudo relatório produzido pela UITP – International Association of Public Transport (Associação Internacional de Transporte Público), traz uma série de informações importantes para quem gosta de acompanhar a evolução do sistema metroviário no mundo. A data de publicação é setembro de 2018.

 

Como lembra a entidade internacional logo de saída, os metrôs são de importância crítica para a mobilidade à medida em que as sociedades estão se tornando cada vez mais urbanizadas.

 

Segundo o relatório, no final de 2017 havia metrôs em 178 cidades de 56 países, transportando em média 168 milhões de passageiros por dia. 

 

Para este levantamento, a UITP coletou, pela primeira vez, dados de material rodante de todos os metrôs do mundo. Em 2017, a frota operacional total era composta por 114 mil vagões.

 

Na Ásia

Desde o ano 2000, foram inaugurados 75 novos metrôs, um crescimento de 70%. “Este massivo crescimento deve ser creditado em grande parte a investimentos feitos em alguns países da Ásia”, diz o documento da UITP.

 

E prossegue: “Olhando para a história do desenvolvimento do metrô, nunca houve um incremento tão forte desde que a Ásia começou a investir maciçamente em sistemas metroviários nos anos 1970. Houve um aumento significativo na atual década, que nem sequer terminou, em grande parte devido à China e à Índia”.

 

É o que mostra o gráfico abaixo: nesta década (2010-2019), enquanto a Ásia inaugurou 33 sistemas de metrô, a América Latina abriu apenas 3.

 

 

Para o Statistics Brief, a UITP coletou uma série de indicadores-chave de todos os metrôs do mundo, incluindo número de passageiros, número de linhas, comprimento da rede, número de estações e tamanho da frota.

 

Segue um breve resumo dos principais tópicos:

 

Usuários

Em 2017, os 178 sistemas de metrô representaram um total anual de 53.768 milhões de passageiros. Veja o Mapa da distribuição por regiões:

 

 

Nos últimos seis anos, o número de usuários de metrôs cresceu globalmente em 8.716 milhões de passageiros (+ 19,5%).

 

Repartida por continente, a taxa de crescimento de passageiros entre 2012 e 2017 foi mais robusta na região do Oriente Médio e Norte da África (Middle East and North Africa) com +58%, seguida da Ásia (+ 28%) e da América Latina (+ 20%). América do Norte e Europa registraram 10% de aumento, enquanto a Eurásia perdeu 3% dos passageiros.

 

A Ásia é o lar de nada menos do que sete dos dez mais movimentados metrôs do planeta. Em comparação com o mesmo relatório de 2015 (Statistics Brief), Nova Delhi (Índia) subiu entrou no Top 10, tomando o lugar do Metrô de Paris.

 

Pequim, Xangai, Seul, Guangzhou e México se mudaram para a parte de baixo no ranking, enquanto Moscou subiu para o número dois. Veja o ranking (Top 10):

 

 

Infraestrutura

Em 31 de dezembro de 2017, os 178 sistemas de metrô juntos tinham 642 linhas, para um comprimento total de 13.903 km e 11.084 estações.

 

Entre o começo de 2015 e o final de 2017, 1.901 km de nova infraestrutura de trilhos foram colocados em serviço. Isso inclui as novas linhas que abriram nos 19 novos metrôs em cidades da China, Índia e Irã (577 km), mas também novas linhas em cidades metropolitanas já estabelecidas (820 km), bem como extensões de linhas (504 km).

 

Quanto a metrôs individuais, em comparação com a situação no final de 2014, Shenzhen se juntou ao Top 10 dos sistemas de metrô mais longos, substituindo a Cidade do México. Seul subiu uma posição para o número três e Guangzhou subiu do número nove para o número sete no ranking. Londres, Moscou e Madri desceram uma posição.

 

A Ásia é o lar de nada menos que seis dos dez maiores metrôs do planeta.

 

Veja a relação (dados do fim de 2017):

 

 

Mais seis metrôs passaram a ter um comprimento superior a 200 km: Cingapura (265 km), Chongqing (260 km), Cidade do México (226 km), Teerã (221 km), Nova Delhi (220 km), Paris (215 km) e Wuhan (204 km). Nova Delhi provavelmente entrará no Top 10 em 2018.

 

Ascensão da frota automatizada

Em março de 2018 o comprimento total da linha de operação totalmente automatizados (FAO – Fully Automatic Operation) atingiu o marco de 1.000 km com a inauguração da Linha Pujiang, em Xangai.

 

Metrôs totalmente automatizados representam atualmente 7% do comprimento total dos ativos do metrô instalados. Apesar de parecer modesto, deve-se ter em mente que os metrôs totalmente automatizados surgiram nas décadas de 1980 e 1990, em comparação com 150 anos de história do metrô.

 

No período 2015-2017, dez novas linhas de metrô projetadas para operar totalmente automatizadas (FAO/GOA4) entraram em serviço em dez cidades, com extensão total de 157 km. O GOA4 é uma operação de trem sem supervisão, onde o início e a parada, o funcionamento das portas e o manuseio de emergências são totalmente automatizados, sem qualquer equipe no trem.

 

Juntamente com nove extensões de linha, o novo GOA4 totaliza 274 km e representa 12% do total do metrô em infraestrutura instalada em 2015-2017. “Se excluirmos a China, que está apenas começando o metrô da FAO e está afetando desproporcionalmente os números de crescimento, os novos metrôs do GOA4 representam 32% de todos os novos metrôs abertos durante o mesmo período”, afirma o documento da UIPT.

 

A UITP aposta que o forte “mainstreaming” dos metrôs padrão GOA4 em todo o mundo será confirmada nos próximos anos, agora que a China adotou resolutamente a abordagem de metrô totalmente automatizada.

 

Projeções de crescimento

Nos próximos cinco anos, mais de 200 novas linhas (convencionais e GOA4) e ainda mais extensões devem ser abertas na maioria das regiões, incluindo a África Subsaariana.

 

No verão de 2018, cerca de 5.400 km foram reportados estar em construção ou em fase de testes, outros 1.700 km nos estágios de projeto e licitação, indica o Statistics Brief do metrô da UITP.

 

O gráfico abaixo ilustra a infraestrutura cumulativa esperada para a evolução nos próximos cinco anos, bem como a forte integração dos metrôs totalmente automatizados (GOA4) no mundo todo. Desse padrão, 32 linhas devem entrar em operação comercial em 16 cidades chinesas até 2022.

 

 

Leia também:
UITP realiza estudo para ampliação dos trólebus na América Latina
Veículos autônomos devem ser usados no transporte público, diz estudo
Futuro promissor para o VLT, avalia estudo
Com metrô, viajante descobre Tóquio sem falar nada de japonês
Nova York estuda pedágio urbano para salvar metrô
Metrô de Moscou vai ganhar 14 novas estações futurísticas


  • Compartilhe:
  • Share on Google+

Comentários

Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro!!!

Clique aqui e deixe seu comentário

Mais lidas


  • Nenhuma notícia encontrada.