Cicloturismo no RS ganha rota de 355 km, por 14 municípios

Roteiro turístico leva o ciclista a um passeio por estradinhas de terra em meio à natureza e à cultura da região de imigração alemã

Notícias
 

Fonte: Mundobici  |  Autor: George Panara/ Mundobici  |  Postado em: 02 de outubro de 2020

Roteiro por cidades gaúchas é todo sinalizado ao c

Roteiro por cidades gaúchas é todo sinalizado ao ciclista

créditos: Reprodução/ Mundobici

Um novo circuito de cicloturismo, passando por 14 cidades do Rio Grande do Sul, foi apresentado no final de setembro pela Associação dos Municípios da Rota Romântica. A rota, segundo os organizadores, deve atrair o turista que deseja conhecer os atrativos naturais e culturais da região de imigração alemã utilizando para tanto de um modo saudável e sustentável, a bicicleta.

 

O percurso todo tem 355 km, e cruza 14 municípios por estradas secundárias e  estradas de terra batida que dão acesso às pequenas comunidades. A sugestão é que os passeios se iniciem em Nova Petrópolis, o que não impede que a pessoa comece seu roteiro por outras cidades, ou mesmo que faça o trajeto em partes, de acordo com o nível técnico e o interesse de cada um. Os percursos são ligados por centros urbanos, o que garante pontos de apoio ao ciclista como hospedagem, restaurantes e locais de abastecimento.

 

De bicicleta, por cenários inesperados... Foto: Reprodução/ Mundobici  

 

Segundo o presidente da Rota Romântica, Cláudio José Weber, o trabalho de criação desta rota demandou quase dois anos de conversas com todos os municípios. "Escolhemos os melhores trajetos para proporcionar uma experiência única na nossa região”, afirmou, e destacou que o novo circuito será "uma excelente opção na retomada do turismo seguro na região e para atrair mais pessoas a uma atividade ao ar livre." 

 

Para o ciclista, a oportunidade do contato com a natureza. Foto: Luis Marcelo Rodrigues

 

Um guia, já disponível no site do Rota Romântica, vem em formatos pdf ou gpx (para aplicativos de GPS), com informações úteis, tais como: altimetria e distâncias de todos os 15 trechos do trajeto, indicação de pontos de apoio aos ciclistas - água potável, locais de hospedagem, gastronomia e onde fazer manutenção das bikes. Além disso, o guia traz a sinalização do percurso com placas indicativas e apresenta ícones desenhados como folhas de plátano para indicar o roteiro. 

 

A Rota Romântica e o circuito de cicloturismo são formados pelas cidades de São Leopoldo, Novo Hamburgo, Estância Velha, Ivoti, Dois Irmãos, Morro Reuter, Santa Maria do Herval, Presidente Lucena, Linha Nova, Picada Café, Gramado, Canela, Nova Petrópolis e São Francisco de Paula. 

 

Lei do Cicloturismo do Paraná
Sair de Curitiba pedalando uma bicicleta, ir até o município de Quatro Barras, descer a serra pela Estrada da Graciosa e se hospedar em Morretes ou Antonina, no Litoral do Estado. Ou então conhecer as belezas naturais dos Campos Gerais. A ideia também pode ser partir de Cascavel e ir de bicicleta até as Cataratas, em Foz do Iguaçu.

 

Cicloturismo na região dos Campos Gerais, no Paraná. Foto: Lobi Cicloturismo

O cicloturismo já é uma realidade no Paraná, mas as formas de viabilizar a criação de uma política estadual para fomentar o desenvolvimento da prática somente foram definidas no último dia 29 de setembro, com a aprovação da Lei do Cicloturismo do Paraná pela Assembleia Legislativa paranaense. A lei nasceu de uma proposta do deputado cicloativista Goura, hoje candidato à Prefeitura de Curitiba pelo PDT.  “Esperamos que o governo abrace a proposta, criando uma sinalização padrão e identidade visual para o cicloturismo em todo o estado, ajudando a definir as rotas, mapeando os atrativos, divulgando informações sobre os circuitos e principalmente auxiliando na formação de consórcios entre os municípios e parcerias com a iniciativa privada.”, declarou Goura na aprovação da proposta pelo parlamento estadual.

A nova lei afirma que circuitos e rotas cicloturísticas serão traçados e implantados considerando as bacias hidrográficas, o relevo e a formação histórica, cultural e social de cada região. Também que terão seus traçados estabelecidos preferencialmente em estradas, vias secundárias ou de menor fluxo de veículos motorizados.

Leia também:
Cicloturismo na vivência do espaço
Pedalando sobre as árvores: Boletim Mobilize #123
Bicicleta é o "melhor normal"
Ciclistas e pedestres nas eleições de 2020


  • Compartilhe:
  • Share on Google+

Comentários

josé ghiotti - 05 de Outubro de 2020 às 10:56 Positivo 2 Negativo 0

maravilha . temos um grupo em Bauru Os Dragas . assim que normalizar toda esta pandemia vamos programar um giro neste trajeto. parabéns !!

Clique aqui e deixe seu comentário