Salvador, metrópole dividida: análise de uma via de alta velocidade como barreira urbana

Publicado na revista Bahia Análise & Dados, este artigo é um estudo de caso do eixo viário Túnel Américo Simas até a divisa dos municípios de Salvador e Lauro de Freitas. São estruturas viárias largas, de trânsito rápido, com poucos pontos de travessia a pedestres e sem equipamentos urbanos. Conclusão: a conformação acentua disparidades sociais, divide a cidade em espaços segregados e estimula o uso do transporte individual.

Cidade de Salvador, com a via estudada neste artig

Cidade de Salvador, com a via estudada neste artigo

créditos: Reprodução

Autor: Henrique de Azevedo/Gardênia de Az./Gilton Aragão*

Assunto: Estudos e Pesquisas

Abrangência: Salvador (BA)

Ano: 2015

Salvador, com 2,9 milhões de habitantes em 2010, abriga na região metropolitana a maior parte da população negra ou parda da cidade. Nesse perímetro, nota-se a presença de vias de alta velocidade, que priorizam os veículos individuais motorizados, com muitas faixas de rolamento e poucos pontos de travessia para pedestres. 

 

Este artigo pretende estudar o eixo viário que parte do Túnel Américo Simas até a divisa do município de Salvador com Lauro de Freitas, um trecho de 23,5 km de extensão. A proposta é investigar até que ponto as estruturas viárias acentuam as disparidades sociais e dividem a cidade em espaços distintos e segregados. Para isso foram avaliadas e mapeadas as informações sociais, os serviços de saneamento básico, a mobilidade urbana e as prioridades de investimento público municipal. Por fim foi percorrido e fotografado o eixo em estudo, avaliando-se as barreiras urbanas existentes para o pedestre. 

 

Verificou-se marcante diferença entre os dois lados do eixo estudado - nos aspectos social, racial, de infraestrutura implantada e disponível para suas populações, oferta de oportunidades de trabalho - e a conclusão foi de que há menor acesso à cidade por parte das pessoas que vivem ao norte do eixo viário analisado, na área do Miolo e do Subúrbio Ferroviário. Além disso, nada ali facilita a vida dos pedestres na travessia dessas vias de alta velocidade, e a conclusão é de que os equipamentos existentes estão muito aquém das necessidades das pessoas.

 

*Os autores

Henrique Oliveira de Azevedo é especialista em Planejamento Urbano e Gestão de Cidades e mestrando em Desenvolvimento Regional e Urbano pela Universidade Salvador (Unifacs).

 

Gardênia Oliveira David de Azevedo é mestre em Engenharia Ambiental Urbana pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e especialista em Formação em Consultoria Organizacional pela Universidade Católica do Salvador (UcSal). Arquiteta e urbanista da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder) e trabalha atualmente na Secretaria do Planejamento da Bahia (Seplan).

 

Gilton Alves Aragão é doutor em Desenvolvimento Regional e Urbano pela Universidade Salvador (Unifacs) e mestre em Economia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professor-assistente da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS).

 

 

Arquivos
Download
Salvador, metrópole dividida
Estudo de caso do eixo viário Túnel Américo Simas até a divisa dos municípios de Salvador e Lauro de Freitas. Estas são estruturas viárias largas, de trânsito rápido, com poucos pontos de travessia para pedestres e sem equipamentos urbanos.

 Voltar

Outros Estudos

Ver todos os estudos

  • Compartilhe:
  • Share on Google+

Comentários

Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro!!!

Clique aqui e deixe seu comentário