Acessibilidade Sobre Rodas

25
junho
Publicado por Raquel Paoliello no dia 25 de junho de 2021

            A mobilidade elétrica está relacionada à eletrificação do transporte, ou seja, visa possibilitar que as pessoas se locomovam utilizando veículos elétricos, tais como ônibus, scooters, bicicletas ou carros. Além dos veículos puramente elétricos, há os veículos elétricos híbridos, que utilizam sistemas de propulsão baseados em eletricidade e outro tipo de energia; A mobilidade elétrica significa se locomover com meios de transportes elétricos como uma sccooter E na rua estão começando a surgir carregadores elétricos para que os aparelhos não fiquem sem bateria. 

          “ Os equipamentos  instalados fornecem um carregamento inteligente semi-rápido, capaz de abastecer 80% da bateria de um automóvel elétrico e híbrido plug-in em aproximadamente 3 horas. As instalações também contarão com assistência para gestão e manutenção dos dispositivos.  “  

O estado pioneiro em mobilidade elétrica é o Ceará. O governo cearense está fazendo um trabalho muito interessante, foram instaladas duas estações de mobilidade elétrica no começo desse ano e o trabalho está crescendo, podendo assim ser ampliado para outros estados como São Paulo e Rio de Janeiro. Em São Paulo seria ótimo porque para quem tem deficiência física e possui scooter ou cadeira motorizada é uma ótima opção poder carregar o “ veículo “ na rua e poder sair sem preocupações da duração da bateria, isso aconteceu comigo e não é nem um pouco agradável 

 

Fontes: http://www.promobe.com.br/institucional/o-que-e-mobilidade-eletrica/#:~:text=A%20mobilidade%20el%C3%A9trica%20est%C3%A1%20relacionada,%2C%20scooters%2C%20bicicletas%20ou%20carros 

https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/negocios/fortaleza-tera-duas-novas-estacoes-de-carregamento-de-veiculos-eletricos-em-2021-1.3023959  

Acesso em 21/06/2021 



Compartilhe

Comente

Seu e-mail nunca é exibido. Campos obrigatórios são marcados *

*
*
*


Busca no Blog
Com a palavra...
Raquel Arruda Raquel Arruda
de 23 anos, é cadeirante. Embora sofra de paralisia cerebral congênita, a moça vai logo declarando: "A deficiência nunca foi uma barreira para mim, muito pelo contrário; ando sempre com um sorriso no rosto e uma imensa vontade de viver". Raquel, que é apaixonada por literatura, escrita e música entre outros assuntos, neste blog quer mesmo é privilegiar a discussão sobre a inclusão e a luta pela acessibilidade e contra o preconceito.

Posts mais lidos
Categorias
Arquivo

Realização
Associação Abaporu
Desenvolvimento
MSZ Solutions
Comunicação
Mandarim Comunicação
Patrocínio
Itau

Allianz
Apoio
Ernst & Young
Prêmio
Empreendedor Social
Prêmio Empreendedor Social