São Paulo: estação da Linha 9 será bancada por empresa privada

Incorporadora Tegra fará a obra, que ficará em frente a empreendimento corporativo. Estação deve ficar pronta apenas em 2021

Notícias
 

Fonte: Metrô CPTM  |  Autor: Marcos de Sousa/Mobilize Brasil  |  Postado em: 16 de março de 2019

Projeção da futura estação João Dias

Linha 9 Esmeralda: Projeção da futura estação João Dias

créditos: Divulgação

Um hiato de décadas entre as estações Granja Julieta e Santo Amaro, na Linha 9 Esmeralda da CPTM, em São Paulo,  poderá ser finalmente preenchido com a construção da estação João Dias. Uma empresa privada, a incorporadora Tegra, (ex-Brookfield) manifestou interesse em bancar a obra e posteriormente doá-la ao governo paulista.

 

A Tegra anunciou que o investimento na futura estação ira melhorar a mobilidade e acessibilidade para milhares de pessoas que trabalham no Complexo 17007 Nações Unidas, construído e inaugurado em 2018 pela empresa incorporadora. A estação João Dias ficará exatamente em frente ao complexo da Tegra. Há dez anos, quando lançou o projeto, a empresa já considerava construir a estação para a CPTM. A informação havia sido publicada no Diário Oficial de 1º de março como uma Manifestação de Interesse Privado (MIP) e por isso tem até o dia 5 de abril para que outros possíveis interessados façam ofertas iguais ou superiores à da Tegra. 

 

Localização da futura estação João Dias Reprodução Metrô CPTM

 

Mas, segundo informações do site Metro CPTM, o projeto da estação evoluiu lentamente pela dificuldade das gestões estaduais em equacionar uma fórmula para receber a doação. No início de 2019, a gestão de João Doria aproveitou a oportunidade e avançou a proposição para o projeto. 

 

Antiga Sorocabana
A Linha 9 Esmeralda da CPTM tem origem na antiga linha ferroviária Sorocaba-Santos, da Estrada de Ferro Sorocabana. Até meados de 1975 o trecho funcionava para trens de passageiros que seguiam para Santos e Itanhaem, no Litoral Sul, e atendia bairros distantes da cidade de São Paulo, como Parelheiros, no extremo sul da capital paulista. Em 1979, o trecho foi incorporado pela antiga Fepasa (estatal paulista de trens), que modernizou a linha, mas suprimiu várias estações do trecho que margeia o rio Pinheiros. Após a criação de outra estatal, a CPTM, a linha passou por nova modernização, com a instalação de mais estações, mas a antiga parada João Dias ainda aguarda sua reativação.

 

Leia também:
O pulo do gato: novas estações do metrô de SP
Um VLT na Grande São Paulo, sugere a CPTM
Mais cara, licitação do ônibus é relançada e tira 132 linhas de SP


  • Compartilhe:
  • Share on Google+

Comentários

Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro!!!

Clique aqui e deixe seu comentário