Ciclista é excluído em obra de requalificação no centro do Recife

Projeto de reforma da avenida Conde da Boa Vista, iniciado na terça (2), não terá ciclovia. Para presidente da Emlurb, a segurança será de responsabilidade do ciclista

Notícias
 

Fonte: Mobilize Brasil/ Ameciclo  |  Autor: Regina Rocha/ Mobilize  |  Postado em: 08 de abril de 2019

Projeto no Recife deixará ciclista largado à própr

Projeto no Recife deixará ciclista largado à própria sorte

créditos: Reprodução G1

As obras de requalificação da avenida Conde da Boa Vista, no centro do Recife, uma das mais movimentadas e importante corredor de ônibus e pessoas, tiveram início na terça-feira passada (2) e devem durar até novembro de 2020. 

 

Segundo a Prefeitura, o projeto tem como objetivo tornar a via mais acolhedora, arborizada e eficiente para pedestres, passageiros do transporte coletivo e ciclistas. Para estes últimos, no entanto, não é prevista qualquer infraestrutura voltada à bicicleta, mas tão somente rotas nas ruas do entorno. Ao todo, a reforma demandará investimentos de cerca de R$ 15 milhões.  

 

Desenho do projeto da nova Avenida Conde da Boa Vista, no Recife. Imagem: PDR

 

A ciclovia na Conde da Boa Vista, além de ter sido solicitada pelos ativistas aos gestores do projeto desde que os estudos iniciaram em 2016, e de ter motivado conversas com o poder público ao longo de todo esse tempo, simplesmente ficou de fora do projeto, denuncia a Ameciclo - Associação Metropolitana de Ciclistas do Recife. 

 

Plano Cicloviário

Segundo Rogério Alves, da Ameciclo, a medida contraria o Plano Diretor Cicloviário (PDC): "Segundo o PDC, na conde da Boa Vista deveria passar uma ciclovia, e não sabemos o motivo de a Prefeitura ter optado pela sua exclusão. Curioso porque o engenheiro Eduardo Coelho, que esta à frente dessa reforma, também participou da construção do PDC". 

 

Em nota (abaixo), a Ameciclo critica as declarações do presidente da Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb), Roberto Gusmão. Diz a entidade:

 

"Em entrevista ao jornal Bom Dia PE (TV Globo) no dia 1º de abril de 2019, o presidente da Emlurb, Roberto Gusmão, disse que a segurança dos ciclistas a partir da reforma da Conde da Boa Vista passa a ser de responsabilidade dos próprios ciclistas (!). 

A resposta vem depois de a jornalista provocar questionando a ausência da execução prevista naquela via do Plano Diretor Cicloviário. O presidente mostra desconhecer o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) que determina que a responsabilidade pela segurança no trânsito é dos condutores dos veículos maiores. 

Também mostra desconhecer a Política Nacional de Mobilidade Urbana, que determina a prioridade do planejamento aos modos ativos de transporte sobre os modos motorizados (incluindo os modos coletivos motorizados).  

O presidente Roberto Gusmão também desconhece a Lei Orgânica do Município, que estabelece a participação social, inclusive a partir da disponibilização da informação, uma vez que não convidou - ao menos não forneceu nenhuma ata nem estudos para nosso pedido de informação - a sociedade civil para opinar sobre o projeto, o que permitiria encontrar soluções alternativas para a inclusão com segurança do ciclista na via mais movimentada da cidade.  

O presidente desconhece ainda a Lei da Transparência, na qual deveria ter disponibilizado de forma acessível o projeto da via, abrindo assim espaço para a participação social. No entanto, preferiu sonegar informação a partir de nossos pedidos até a última instância, quando a corregedoria obrigou-o a responder, mas o fez de forma incompleta. 

Por isso, reiteramos aqui a necessidade de incluir a segurança do ciclista na Conde da Boa Vista, conforme planejamento e legislações vigentes. Reiteramos a necessidade de conversar com a sociedade civil para a melhoria do projeto da Conde da Boa Vista e entorno. O desconhecimento da legislação não o faz isento de segui-la, mas mostra que a Prefeitura do Recife está despreparada para conversar com a população. 

Sim, a segurança do ciclista depende em primeiro da estrutura que a prefeitura possa prover aos ciclistas, depois dos motoristas que o respeitem. Portanto, presidente, se houver morte na via, a culpa também é sua." (Ameciclo)

 

Leia também:
Ciclistas do Recife "descomemoram" atraso do plano cicloviário
Parque Capibaribe, no Recife (versão preliminar do projeto)
Ciclistas do Recife ganham aplicativo colaborativo de rotas seguras
Placas deixadas em rua do Recife pedem respeito ao pedestre


  • Compartilhe:
  • Share on Google+

Comentários

Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro!!!

Clique aqui e deixe seu comentário

Mais lidas


  • Nenhuma notícia encontrada.