Ciclistas cobram segurança em dia da inauguração de ciclovia no Recife

Ciclistas aprovam criação de faixa exclusiva entre o Marco Zero, no Bairro do Recife, e Fábrica Tacaruna, em Santo Amaro... mas questionam falta de policiais no trecho

Notícias
 

Fonte: G1  |  Autor: G1  |  Postado em: 24 de abril de 2017

Trecho de 5 km do Eixo Cicloviário, inaugurado dom

Trecho de 5 km do Eixo Cicloviário, inaugurado domingo (23)

créditos: Luiz Fabiano/Seturel/Divulgação

 

O primeiro trecho do Eixo Cicloviário Estruturador, que liga o Marco Zero, no Bairro do Recife, à Fábrica Tacaruna, na Avenida Agamenon Magalhães, em Santo Amaro, foi inaugurado pelo governo de Pernambuco na manhã deste domingo (23). 

 

O trajeto, de 5 km, leva o nome do ex-secretário de Turismo do Recife, Camilo Simões, e custou R$ 2,4 milhões, investimento que contou com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Apesar de buscar beneficiar quem faz uso da bicicleta, a medida não agradou totalmente os ciclistas que utilizaram a ciclovia.

 

De acordo com a Associação Metropolitana de Ciclistas do Grande Recife (Ameciclo), há alguns trechos sem sinalização e que levam os usuários do modal a compartilharem indevidamente o espaço com os carros. “Fomos chamados para opinar sobre o projeto e mostramos as considerações, mas elas não foram levadas em conta”, afirma o coordenador de comunicação da Ameciclo, Roderick Jordão.

 

O cicloativista faz questão de celebrar a implantação do primeiro trecho do eixo, mas cobra a consideração de opiniões de quem utiliza o modal. 

 

“Na Ponte Princesa Isabel, por exemplo, a ciclovia acaba no ‘pé’ da ponte e há uma placa que indica que o ciclista deve desmontar a bicicleta e seguir na calçada, junto com os pedestres. É natural que os ciclistas não façam isso, porque sabem que seguir pela calçada não é correto. Em vez de desmontarem, eles vão seguir pedalando entre os carros para cruzar a ponte, já que não há delimitação do espaço das bicicletas”, critica o integrante da Ameciclo.

 

Para a funcionária pública Vanúzia Cabral, a montagem da ciclovia é importante, mas ainda há questões pendentes. "É bom porque é mais uma opção de lazer, mas acho que tem que ter policiamento. Utilizei hoje [domingo, 23] e vi que não tinham policiais a partir da Ponte do Limoeiro", diz. A reportagem procurou a Polícia Militar para questionar o esquema de policiamento na área e aguarda retorno.

 

Por outro lado, o secretário de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco, Felipe Carreras, informa que as opiniões dos ciclistas foram consideradas durante o planejamento do trajeto, mas não foi possível atender integralmente às reivindicações. “Acho importante essa participação da sociedade civil, dando seu tom crítico, sugerindo, cobrando. Em algumas situações, a gente conseguiu contemplar, em outras não, seja por questões de segurança ou de engenharia de tráfego”, explica.

 

Sinalização

Ainda de acordo com Carreras, a falta de sinalização na área do Marco Zero até a Praça da República será corrigida em até duas semanas. “Será uma ciclorrota que vai do Marco Zero até a Praça da República. Como ela irá passar pela Avenida Rio Branco, que está em obras, a sinalização ainda não foi totalmente concluída, mas, nos próximos 15 dias, ela deverá ser instalada”, garante o secretário.

 

O titular da pasta de Turismo, Esportes e Lazer afirmou, ainda, que o segundo trecho do Eixo Cicloviário será inaugurado em Olinda. “Na próxima semana, iremos lançar o edital de licitação para a próxima etapa da obra”, afirmou. De acordo com a secretaria, o projeto irá contemplar os municípios do Recife, de Olinda, de Paulista, de Abreu e Lima e de Igarassu, ao longo de 33,8 km de extensão.

 

Leia também:

No Recife, área de Zona Azul vai dar lugar a ciclovia 

Recife inaugura estação de sistema de bikes comunitárias

Rota de bicicletas começa a ser construída no Recife 


  • Compartilhe:
  • Share on Google+

Comentários

Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro!!!

Clique aqui e deixe seu comentário

Enquetes
Enquete Você deixaria o carro em casa, e até o transporte público, se as calçadas de sua cidade fossem melhores para caminhar?