Velo-City, na França, tem recorde de público e de brasileiros presentes

Evento anual de ciclismo ocorrido na "cidade ciclável" de Nantes na semana passada reuniu quatro mil pessoas. O Mobilize participou do encontro

Notícias
 

Fonte: Mobilize Brasil  |  Autor: Yuriê César / Mobilize Brasil  |  Postado em: 09 de junho de 2015

Velo-City, em Nantes: recorde de público e de bras

Velo-City, em Nantes: recorde de público e de brasileiros

créditos: Yuriê César / Mobilize

 

Velo-City, evento anual da European Cyclists Federation (ECF), reuniu na semana passada em Nantes, na França, os principais planejadores e promotores da mobilidade por bicicleta da Europa. Vários participantes de outros países não europeus também participam do evento graças a sua qualidade e organização. 

   

Neste ano, o evento bateu o recorde de público, o recorde de participantes na Vélo Parade com mais de quatro mil ciclistas e o recorde de brasileiros presentes. Foram 12 trabalhos apresentados pelos mais de 40 brasileiros presentes entre os mil e quinhentos participantes de todos os países.

 

A participação brasileira no evento demonstra o quanto o cicloativismo vem crescendo e se organizando no Brasil nos últimos anos, graças aos Fóruns Mundiais da Bicicleta, aos workshops promovidos pela associação Transporte Ativo, à União de Ciclistas do Brasil e ao crescente número de novas entidades e grupos promotores da bicicleta.  

                  

O Velo-City é uma bela oportunidade para conhecer muitas pessoas e realidades da bicicleta mundo à fora. E para ter a certeza de que, por mais atrasado que o nosso país esteja nas políticas públicas de promoção à bicicleta, o trabalho desenvolvido pelos ativistas locais é de alta qualidade.

 

Brilho nos olhos

Em um ambiente dominando por entusiastas da bicicleta, a surpresa do André Dizikus, coordenador da Habitat/ONU resumiu bem bem o que a bicicleta representa. Ao iniciar sua fala na última conferência do Velo-City, Dizikus assumiu que nunca havia estado tanto tempo em meio ao mundo das bicicletas e que ele viu um sorriso e um brilho nos olhos de cada uma das pessoas presentes. Que em dezenas de conferências em que ele já esteve presente nunca havia presenciado algo parecido, que deveríamos passar a avaliar o sucesso e a felicidade das nações a partir do número de pessoas que pedalam.

 

A próxima edição do Velo-City será realizada no final de fevereiro de 2016 em Taipei, na China. Infelizmente o evento vai coincidir com a realização do Fórum Mundial da Bicicleta que acontecerá em Santiago do Chile e que é praticamente ignorado pelos europeus (como foi possível perceber ao conversar com dezenas de participantes do Velo-City).

 

Engravatados

O cicloativismo europeu, ao menos das grandes entidades e federações nacionais presentes, é bem diferente do brasileiro e latino-americano. Eles vivem praticamente de seus associados e patrocinadores, enquanto, por aqui, o voluntariado e a vaquinha para realizar as ações predominam. 

 

Em muitos casos, os europeus são quase como consultores do poder público ao invés de ativistas que precisam lutar para descontruir o status quo dominante para conseguir poucas migalhas para a mobilidade por bicicleta. Essa diferença na atuação se reflete no público do Velo-City, composto por muitas pessoas engravatadas e mais velhas do que as presentes nos fóruns de bicicleta sul-americanos.

 

Destaque à parte do Velo-City é a sua cidade sede. Enquanto os FMBs acontecem em cidades em que o cicloativismo é forte mas o poder público não realiza as ações necessárias para promover a bicicleta, o Velo-City acontece sempre em uma cidade que muito já fez e que está no caminho certo. Nantes não é diferente. 

 

A cidade de Nantes se reinventou nos últimos anos. Várias ruas foram devolvidas às pessoas é o automóvel passou a ser um mero veículo tolerado. A cidade é o inteiramente ciclável, praticamente todas as ruas possuem sinalização mostrando que a bicicleta está presente. Existem bicicletários em todos os destinos e a bicicleta é permitida até no contra fluxo de várias vias. Com toda certeza, nenhuma cidade brasileira está próxima de se tornar a Nantes de hoje.

 

Leia também:

Fórum Mundial da Bicicleta se consolida como principal evento de promoção da bicicleta 

França experimenta pagar quem vai trabalhar de bicicleta

Experiências de outros países mostram caminhos para avançar na ciclomobilidade 

Ciclistas são até 40% menos estressados que os não ciclistas 


  • Compartilhe:
  • Share on Google+

Comentários

Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro!!!

Clique aqui e deixe seu comentário

Enquetes
Enquete Você deixaria o carro em casa, e até o transporte público, se as calçadas de sua cidade fossem melhores para caminhar?