Recife poderá ter uma "patrulha ciclística"

Projeto de lei sugere a criação de uma divisão da Guarda Municipal para proteger ciclistas que circulam pelas ruas e, especialmente, pela malha cicloviária da capital

Notícias
 

Fonte: Gabinete Luiz Eustaquio/Mobilize Brasil  |  Autor: Marcos de Sousa/Mobilize Brasil  |  Postado em: 22 de julho de 2021

"Bicycle patrol", de Nova York, em 1995

créditos: New York Daily News Archive/Getty Images

 

Uma audiência pública, no dia 6 de agosto, às 10 h, vai discutir a possibilidade de criação de uma "patrulha ciclística" para a proteção [email protected] ciclistas que circulam pelas ruas e ciclovias do Recife. O projeto de lei está sendo proposto pelo vereador Luiz Eustaquio (PSB), que é ciclista e tem procurado estimular o uso da bicicleta na capital pernambucana.

 

Recife já conta com cerca de 125 km de ciclovias e ciclofaixas, mas apenas a área mais turística é protegida por agentes que circulam em bicicletas. A ideia de criar uma "patrulha" específica para a malha cicloviária procura reduzir os riscos de furtos, assaltos e outros atos violentos contra as pessoas que circulam de bicicleta.

 

Policiamento de bike
Agentes policiais em bicicletas são comuns em várias cidades do Brasil e do mundo. E não são novidade. Eles surgiram no final do século 19 e se mantiveram pedalando até os anos 1960, quando foram reduzidos a pequenos batalhões.


Grupo de ciclistas do exército suíço: bikes transportavam até bazukas nas rodovias alpinas Foto: Lynn Johnson, NatGeo

 

Houve até mesmo um grupo lendário do Exército da Suíça que se manteve atuando até 2003 em missões nas rodovias dos Alpes, com bicicletas especiais para aquelas condições montanhosas. Mas, somente nos anos 1990 é que as bicicletas voltaram a ser usadas no policiamento de rua por conta de sua agilidade e facilidade de chegar a locais onde os veículos motorizados não conseguem alcançar.


Audiência
No encontro de 6 de agosto, além do vereador e de sua equipe, participam representantes da Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU), membros da  Associação Metropolitana de Ciclistas do Recife (Ameciclo), representantes do BikeAnjo Recife e também um representante do Mobilize Brasil. A reunião (on-line) será aberta ao público pelas redes sociais, com transmissão simultânea pelo youtube.

 

Leia o projeto de lei:


PROJETO DE LEI ORDINÁRIA Nº             / 2020
Dispõe sobre a criação da Patrulha Ciclística no âmbito da Guarda Municipal da Cidade do Recife. 

Art. 1º Fica estabelecido a criação da Patrulha Ciclística na Guarda Municipal da Cidade do Recife, a Patrulha Ciclística, especifica para fiscalizar e cuidar da segurança dos ciclistas que utilizam a malha cicloviária (ciclovias, ciclofaixas e ciclorrotas). 

Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. 

Sala das Sessões da Câmara Municipal do Recife, 30 de junho de 2020.

Luiz Eustaquio, Vereador do Recife 

 

JUSTIFICATIVA
A prefeitura do Recife vem investindo na ampliação da malha cicloviária, último relatório da CTTU nos informa que a cidade possui 125 km de malha cicloviária (ciclovias, ciclofaixas e ciclorrotas).

Desde 2013, as novas rotas implantadas compõem a Rede Cicloviária Complementar, previstas pelo Plano Diretor Cicloviário (PDC), e estão sendo projetadas para que haja uma conexão com as rotas já existentes e com a Rede Cicloviária Metropolitana, que está sendo elaborada pelo Governo do Estado. Os projetos priorizam o atendimento aos bairros que abrigam polos de interesse público, como parques, praças, mercados públicos e terminais de ônibus, criando pontos de conectividade entre esses equipamentos.

O uso de ciclovias tem se tornado uma alternativa cada vez mais útil à mobilidade urbana, ao bolso, ao tempo, à saúde e ao meio ambiente. Grandes metrópoles que adotaram o uso das bikes como meio transporte têm colhido excelentes resultados e ganhado grande número de adeptos.

O uso de bicicleta aqui no Brasil ainda é visto como um tímido agente transformador da mobilidade urbana sustentável. Entretanto, seus benefícios são muitos: diminui o número de carros nas ruas e, consequentemente, os congestionamentos e os índices de poluição; gera autonomia e facilidade de deslocamento; contribui para a atração dos centros urbanos; tem baixíssimo impacto poluidor na construção das vias; aumenta a qualidade de vida dos adeptos; e reduz o stress, dentre outros.

No entanto, a questão da insegurança, com o registro de vários casos de roubos de bicicletas durante o uso da malha cicloviária, em algumas rotas, tem sido motivo de grande preocupação e medo por parte dos ciclistas.

Este projeto de lei propõe que seja criada uma patrulha especifica para cuidar dos ciclistas que fazem uso da malha cicloviárias, em especial, aos que utilizam a ciclo faixas aos domingos com a família.

A bicicleta é famosa pelos benefícios à saúde das cidades e de seus habitantes, mas ela também é capaz de ser um veículo para emergências. Bombeiros, policiais, guardas de trânsito ou o patrulhamento comunitário.

Os custos são muito menores além de outras vantagens. Um agente do Estado que esteja numa bicicleta está necessariamente mais disponível para o contato direto com a população civil. 

A bicicleta possui vantagens óbvias:

1) Discreta. Todas as experiências do seu uso para fins de segurança/policiamento destacam o fato de serem veículos silenciosos, quase “invisíveis”. Pode-se surpreender grupos de criminosos surgindo por onde eles menos esperam, sobretudo por rotas de fuga onde não dá para passar um carro.

2) Rápida. Em Londres, onde há mais bicicletas de patrulha do que viaturas, o tempo de resposta a chamadas caiu pela metade. E em 70% dos casos elas chegam à cena antes das ambulâncias.

3) Acessível. As pessoas têm mais facilidade de acenar e conversar com policiais ciclistas. Também é comum relatos de crianças que se aproximam querendo saber sobre as bicicletas. Um sargento britânico salienta “este tipo de conversas revela algumas excelentes informações que levam a uma série de problemas de comportamento anti-social a serem abordados e resolvidos”.

4) Baixo custo. A cidade de Glasgow relatou que “podem ser empregados 15 policiais ciclistas pelo mesmo custo de adquirir e manter um carro.” Mas um gasto suplementar que não pode ser esquecido é a manutenção, que por vezes pesa tanto quanto a aquisição das bicicletas.

5) Saudável. Bicicletas mantêm os policiais em boa forma física. Além de melhorar a autoestima pessoal, a corporação e a cidade ganham porque as faltas ao trabalho por motivo de doença são reduzidas drasticamente.


Anote:
Audiência Pública sobre a criação de uma Patrulha Ciclística em Recife
Dia 6 de agosto, às 10 horas
Acesso via Youtube


Leia também:
Bicicleta - Velo-City 2021 ocupa Lisboa em setembro
São Luís terá "tarifa zero", a partir de outubro, diz governador
Como começar a usar a bicicleta na cidade
 A pé ou em bikes somos mais eficientes


  • Compartilhe:
  • Share on Google+

Comentários

Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro!!!

Clique aqui e deixe seu comentário